Empresas

O que é pedagogia empresarial e como ela ajuda os trabalhadores.

Profissional que trabalha com a pedagogia empresarial é fundamental para um melhor relacionamento e comportamento dos colaboradores.


Os pedagogos são profissionais indispensáveis na formação de crianças e jovens, com atuação direta naquilo que se transformarão em um futuro próximo e distante. Porém, sua importância vai além disso e se estende até a vida adulta.

A pedagogia empresarial quando despertada e influenciada nos adultos pode ser tão benéfica quanto foi quando ainda se era uma criança, com potencial de fazer com que a companhia melhore em vários aspectos.

Vamos entender
melhor como funciona essa
vertente e de que maneira os serviços dos
profissionais que com ela atuam podem ser proveitosos no
meio corporativo.


Qual é a
definição de pedagogia empresarial?


Ela é a área da pedagogia em que os conhecimentos de tais profissionais são aplicados aos relacionamentos e interações que ocorrem dentro de uma empresa, com o intuito de ter um ambiente agradável, amistoso e saudável entre e para com todos os colaboradores.

Os métodos,
técnicas e práticas utilizados são bem similares
ao que se aplica às crianças e jovens, com a diferença
de que o público que receberá esse tipo de
orientação já estará em uma fase mais avançada de suas
vidas, o que envolve idade, experiência e motivações
diferentes.

A participação dos pedagogos empresariais ocorre de modo a adequar e modificar certos comportamentos e conceitos que estão intrínsecos nos profissionais, de modo que eles possam evoluir e melhorar como trabalhadores e também como pessoas.

Ainda que soe como uma aplicação diferente do que a maioria das pessoas está acostumada em relação às funções do pedagogo, é inegável que o profissional é perfeitamente apto a atuar nessa área, dado todo o conhecimento teórico e prático absorvido com o passar de sua carreira.

Mercado para essa profissão não falta. De acordo com a consultoria Empresômetro, no final de julho de 2019, o número de empresas ativas no Brasil supera os 19 milhões, ou seja, há boas oportunidades para que os pedagogos atuem no segmento empresarial.


Pedagogo Empresarial
Pedagogo Empresarial

Quais são as vantagens de contratar um pedagogo empresarial?


Muitas, e depois de conhecê-las, ficará evidente como a participação desse profissional é de suma importância para qualquer negócio, independentemente de seu porte ou segmento. Algumas das que se destacam são as seguintes:


1 – Equipe mais cooperativa


Quando se é criança, uma habilidade incentivada é a do trabalho em equipe, que permite que todos os envolvidos obtenham um melhor desempenho e, por consequência, que o resultado seja ainda mais satisfatório. Porém, isso pode ser perdido com o passar do tempo.

Seja pela concorrência que existe no mercado de trabalho, dentro da própria empresa ou mesmo devido a experiências negativas no decorrer da vida, é comum que as habilidades de cooperação se enfraqueçam, embora sejam essenciais para qualquer companhia.

A atuação de um pedagogo empresarial se dá na desconstrução e remodelação desse conceito criado, arraigado e fortalecido ao longo dos anos, de modo que os profissionais possam se desvencilhar de tal pensamento e, assim, construir relações cooperativas saudáveis.

De acordo com um estudo feito pela Fierce, Inc. com mais de 1.400 executivos, empregados e educadores, 86% deles citam que a falta de colaboração ou uma comunicação ineficiente são falhas nos ambientes de trabalho, o que mostra que há muito campo para melhorar neste quesito.


2 – Profissionais criativos


Outra habilidade que é fortemente recomendada pelos pedagogos às crianças é a criatividade ou seja, a capacidade de imaginar e criar soluções, situações e percepções que fogem do âmbito estritamente técnico e teórico.

Com o passar do tempo, quando nos tornamos melhores ao lidar com a vida, são criados hábitos de pensamento que se mostram eficazes na obtenção de bons resultados em variadas áreas, o que pode fazer com que a imaginação propriamente dita se enfraqueça.

Além disso, nos adaptamos a normas sociais, seguimos a padrões de pensamento convencionais, aumentamos a eficiência das atividades realizadas e percebemos que agir sempre ou quase sempre da mesma maneira dá certo.

Outra desconstrução de padrões se faz necessária sob esse aspecto, e é justamente aí onde o pedagogo empresarial pode ajudar a todos os profissionais de uma determinada empresa, cujo impacto ainda é destacado para quem precisa diretamente da criatividade em seu trabalho.

Ao reaprender os processos criativos, é possível pensar em novas maneiras de solucionar problemas antigos e, por consequência, obter resultados ainda mais satisfatórios, muitos dos quais não são alcançados pela concorrência ou por outras pessoas pela falta de estímulo da criatividade.


3 – Time mais motivado


A falta de motivação pode trazer sérias consequências, principalmente a médio e longo prazo, já que pode-se chegar ao ponto em que os profissionais (ou até mesmo a própria empresa, em sua cultura) não sentem aquela animação e determinação em desempenhar suas atividades.

A motivação atua como um combustível para o desempenho profissional e também para as outras áreas da vida. Quem se sente motivado tende a se empenhar mais e agir da melhor maneira possível para conquistar os objetivos desejados.

De acordo com um relatório divulgado pelo National Research Council, datado de 2003, 40% dos estudantes em fase colegial cronicamente não apresentavam engajamento em suas atividades, ou seja, não se sentiam motivados em realizá-las.

Se isso é observado na idade colegial, a tendência é de que tal comportamento se mantenha até a fase profissional, o que pode resultar em problemas sociais e até mesmo psicológicos.

A experiência e conhecimento de um pedagogo empresarial podem ser aplicados em cada profissional da empresa, de modo que seus objetivos, interesses e determinações sejam reanimados e que ele se sinta bem com o seu papel dentro da corporação, o que tende a se estender também para sua vida pessoal.

Além disso, a cooperatividade e criatividade citadas anteriormente, quando estimuladas, resultam quase que automaticamente em uma melhoria no ambiente de trabalho e no comportamento dos profissionais, o que por sua vez pode potencializar a motivação de cada integrante da equipe.


Pedagogia Empresarial nas empresas
Pedagogia Empresarial nas empresas

Pedagogia empresarial: uma grande aliada no meio corporativo


A cada dia que passa, a concorrência aumenta no mundo dos negócios e das empresas. Isso faz com que elas tenham que buscar melhorias contínuas para se manter em uma boa posição em seu segmento, o que demanda mudanças comportamentais de dentro para fora.

Da mesma forma que um pedagogo ajuda no desenvolvimento de crianças e jovens, ele pode atuar com adultos e fazer com que eles desconstruam ideias que os prejudicam e, posteriormente, fortaleçam as áreas que antes estavam frágeis, o que só tende a trazer benefícios.

Além da empresa ter condições de apresentar uma melhor performance, a participação de um pedagogo empresarial em seu planejamento e execução proporciona melhorias nítidas na vida pessoal de cada colaborador, o que se transforma em um círculo vicioso altamente benéfico.

A partir de agora, quando você pensar em cursos de pedagogia, não será apenas a imagem de crianças em uma sala de aula que deve aparecer em sua mente, mas sim o de adultos engajados, motivados, cooperativos e participativos, o que, diga-se de passagem, é um cenário dos sonhos.

Wix: Uma das Empresas Internacionais que mais cresce.

As empresas de CMS – Sistema de Gestão De Conteúdo estão em crescimento acelerado há alguns anos e a expectativa é que isso continue a ocorrer. Dentre elas, o Wix é uma das que mais se destaca.


O mercado global das empresas de CMS foi avaliado em cerca de 36 bilhões de dólares em 2018 e é esperado que chegue a mais 120 bilhões em 2026.

Esta tendência, aliada aos excelentes resultados alcançados pelo Wix, fez com que especialistas do mercado considerem as ações do Wix como um investimento de crescimento sustentável e de longo prazo.

Wix é uma plataforma grátis de ferramentas de desenvolvimento de sites profissionais baseada na nuvem que tem mais de 140 milhões de usuários no mundo e tem um enorme potencial de crescimento. Estima-se um Market Share do Wix de cerca de 26%.

Isso acontece porque há muitos negócios, principalmente os menores, que ainda não têm seus próprios sites e vão precisar criá-los. E muitos novos negócios e startups estão e estarão sendo criados.


Há várias razões para que esse movimento de crescimento se mantenha:


  • As tendências do e-commerce são bastante favoráveis
    ao Wix
  • O potencial de crescimento do mercado permanece
    forte
  • Uma plataforma extremamente intuitiva, robusta e
    fácil de usar é um importante catalisador para os pequenos negócios
  • A Inteligência Artificial e os aplicativos Wix
    tornam cada vez mais simples a construção de sites personalizados

Presença Global


Com uma atuação cada vez mais global em cerca de 190
países, o Wix tem uma distribuição de receita em seus principais mercados de:
45% localizados nos Estados Unidos, 26% na Europa, 14% na Ásia e 9% na América
Latina.

O Wix tem escritórios em Israel, onde fica a matriz e também nos EUA, Alemanha, Canadá, Índia, Ucrânia, Lituânia, Irlanda e em São Paulo, Brasil. E teve de desenvolver ferramentas para se adaptar às peculiaridades e necessidades específicas de várias regiões do mundo. E na Ásia, isso inclui Singapura, Taiwan, Hong Kong e outros.

Em 2019 estabeleceu em Dublin, na Irlanda, uma Central de Atendimento ao Cliente. A intenção é fortalecer a infraestrutura de suporte global e sua presença internacional. Esta equipe de suporte atende os clientes Wix em vários idiomas, incluindo inglês, português, francês, espanhol, alemão, italiano e russo.


Wix no Brasil


Wix no Brasil
Wix no Brasil

Segundo diretores da empresa o Brasil é um mercado chave para a empresa. Atualmente é seu terceiro maior mercado. Sua importância pode ser vista no fato de o português ter sido o segundo idioma para o qual o Editor Wix foi traduzido.

Com a crescente participação do uso dos smartphones e a grande necessidade de manter uma presença online, o mercado da Wix no Brasil é relevante e a demanda local é por produtos como comércio eletrônico, portfólios e recursos de design.

Os produtos mais procurados são o Wix Video, que permite integrar vídeos de alta qualidade às páginas da web e o Wix Stores que permite a partir do painel de controle o uso de ferramentas como gerenciamento de pagamentos, estoques e marketing a partir do painel de controle.

Entender as características únicas do mercado brasileiro é um desafio para o Wix. Entre essas várias peculiaridades estão o pagamento parcelado, que é muito raro na maioria do mundo e o fato de que poucas pessoas no Brasil possuem cartões de crédito internacionais. Esses são exemplos de adaptações que precisaram ser feitas pelo Wix para ter sucesso por aqui.


Quais Idiomas estão Disponíveis no Wix?


O Wix Editor admite todos os idiomas e caracteres suportados pelo UTF8, que é a forma mais amplamente utilizada para representar texto Unicode nas páginas da Web. Estão incluídos os idiomas chinês, japonês, tailandês, arábico, coreano, português, hebreu e muitos outros.

Não é necessária nenhuma configuração. Você deve apenas
digitar no idioma que desejar, desde que ele esteja instalado em seu sistema
operacional.

O Wix Editor em si está disponível em inglês, espanhol, português, francês, alemão, polonês, italiano, russo, japonês, coreano, turco, chinês, tailandês, sueco, norueguês, holandês, dinamarquês, hindi e tcheco.

O Wix disponibiliza uma ferramenta super útil para a gestão de idiomas do site que você criar. É o Wix Multilingual. Ele permite que você mesmo / mesma crie seu site em diferentes idiomas, sem a necessidade de um programador.

Você cria o site apenas uma vez, usando o idioma original. Para criar versões do site em outros idiomas, é necessário apenas ativar o Wix Multilingual.

Desta forma, você não cria páginas duplicadas, mas sim
verões da página original. Com a vantagem de que todas as alterações que forem
feitas no original serão automaticamente efetivadas nas versões de outros
idiomas.

Outra ferramenta importante é a que possibilita configurar as características de SEO separadamente para cada idioma.

O suporte técnico por telefone 24/7 só está disponível em
inglês. Por sua vez, está disponível suporte técnico em português, espanhol e
italiano em horário comercial de segunda a sexta-feira.


Wix na China, Taiwan e Hong-Kong


Wix na China, Taiwan e Hong-Kong
Wix na China, Taiwan e Hong-Kong

É curioso destacar que no momento em que este artigo está sendo elaborado o Wix não oferece suporte na língua chinesa. E, como a empresa está tendo um crescimento muito acelerado nesta região, há vários artigos que auxiliam usuários que não dominam o idioma inglês a navegar em sua plataforma.

Um exemplo é o site Wix網站:一篇完整的教學和評價(我們對於Wix的愛與恨 que você pode ler aqui.

Por outro lado, existem exceções de regiões em que há dificuldade no uso da plataforma. O próprio Wix reconhece que usuários enfrentam problemas na República Popular da China e em Hong Kong ao visualizar sites hospedados fora da China.

Na verdade, existe um bloqueio feito pelo governo Chinês, conhecido como o grande firewall da China que restringe o acesso a sites hospedados fora daquela região.


Conclusão


Sem dúvida, a combinação de um mercado de sistemas de gestão de conteúdo em acelerado crescimento com a agilidade e a capacidade de se adaptar às novas tendências do mercado apresentadas pelo Wix, fazem com que a empresa seja reconhecida por todos, especialmente por especialistas, como uma das que mais rapidamente têm crescido.

Para que não fique qualquer dúvida sobre as impressionantes taxas de crescimento do Wix, citamos artigo da revista Forbes que afirma que a empresa tem sustentado um crescimento de receita e de seus preços de ações nos últimos 5 anos que é assustador.

Enquanto suas receitas cresceram a uma taxa média de 49,6%
ao ano, chegando a um valor de 604 milhões de dólares em 2018, as ações do Wix
cresceram a uma taxa anual de 43,9%. Esses números são realmente
impressionantes.

Portanto, se estabilidade e crescimento sustentável forem algumas de suas razões para apostar no futuro do Wix, não há porque duvidar que eles continuem a oferecer um produto que estará continuamente disponibilizando as melhores ferramentas para a criação de sites.

Empresas finalmente percebem o potencial de marketing dos games.

Com os e-sports, novas maneiras
de monetizar os games estão surgindo, e se antigamente os desenvolvedores
dependiam exclusivamente das vendas do jogo, hoje em dia eles precisam se
concentrar cada vez mais em um único aspecto: garantir que o jogo é divertido e
popular. Felizmente, isso já era uma parte essencial do processo de criação de
um game, e focar nestes aspectos não é nenhum problema para a maioria dos
desenvolvedores.

Mas, o motivo pelo qual é tão importante que games sejam populares é que as maneiras de monetizar os jogos são cada vez mais criativas. A banda Weezer, por exemplo, recentemente criou um mapa temático dentro do jogo Fortnite. A ideia é que os jogadores possam escutar 4 músicas do novo álbum, intitulado “Black Album”, e tenham acesso à diversos mini-games dentro do parque criado.

O mapa foi lançado durante a
nova temporada e os jogadores podem adquirir um passe de batalha, por 950
V-Bucks, para conseguir recompensas, que são itens cosméticos digitais,
relacionadas à banda Weezer.


Sucesso dos e-sports como plataforma de marketing.

Não é algo novo: os e-sports
vieram para ficar, empresas de equipamentos eletrônicos e tecnológicos investem
milhões em equipes e campeonatos anualmente justamente pensando no retorno que
isso garante no longo termo. Ligas profissionais são formadas e elas contam com
patrocinadores que, em alguns casos, sequer estão relacionados diretamente com
os e-sports, mas a visibilidade do negócio os atraiu.

No Brasil, a Gillette está
atuando de maneira forte no cenário de League of Legends. A empresa lançou,
recentemente, o primeiro reality show do ramo com vários jovens e adolescentes
que sonhavam em ser jogadores profissionais. O programa foi um sucesso e seis
jovens promessas foram incorporadas às equipes da PaiN e da INTZ. Atualmente,
existe outro programa também feito pela Gillette acompanhando a trajetória
destes atletas, é o “Path to Pro”, que acompanha o dia a dia dos jogadores
dentro das novas equipes.

E não é só a Gillette, outras empresas, notoriamente as de apostas, também investem no ramo. A MiBR, equipe brasileira de CS:GO é patrocinada por um site de apostas, e vários destes sites permitem que o jogador aposte nas partidas dos mais diversos e-sports. Muitos ainda não sabem, mas as apostas esportivas de cota fixa foram recentemente legalizadas no país e várias empresas já oferecem o serviço no Brasil. E, se você é do tipo que gosta de jogos interativos e em 3D, então você também pode usar o aplicativo do Vera&John Cassino, que conta com vários games competitivos mas que são levemente distintos dos jogos tradicionalmente encontrados nos cassinos.

games

Outros eventos já foram promovidos nos games.

O evento da banda Weezer é algo
diferente no ramo, afinal de contas não é comum a criação de um mapa em um jogo
para a divulgação de algo. Mas esta não é a primeira vez em que algo é
divulgado dentro do jogo Fortnite. Este ano tivemos, por exemplo, a
apresentação do DJ Marshmello ao vivo no game.

Toda uma estrutura foi montada:
O DJ contou com um palco posicionado próximo do Pleasant Park e os jogadores
receberam uma skin exclusiva para seus personagens. As plataformas de
streaming, como a gigante Twitch, tiveram números altíssimos de visualizações
ao longo do evento que contou com a participação de vários jogadores no palco e
nos arredores.

Hoje já é possível encontrar o filme “Vingadores: Guerra Infinita” em algumas plataformas de streaming. Mas no ano passado, quando o mesmo ainda estava nos cinemas, a Epic Games também fez uma parceria com a Marvel para divulgação do filme. O evento tinha como objetivo colocar o vilão, Thanos, dentro do jogo e foi outro sucesso. Chamado de “Infinity Gauntlet Limited Time Mashup”, o evento tinha como objetivo encontrar a Manopla do Infinito dentro do jogo, quem conseguia tal proeza, tinha habilidades especiais e se transformava no próprio vilão dentro do jogo.

A ideia foi dos diretores do filme, Joe e Anthony Russo, que são fãs do game. Eles entraram em contato com Donald Mustard, diretor criativo da Epic e ele, naturalmente, aceitou a ideia e trabalhou em sugestões que se encaixavam no game. Com tantos eventos de sucesso acontecendo com o auxílio dos games, é só uma questão de tempo até que novos eventos reais sejam divulgados nas telinhas virtuais.

Como a Inteligência Artificial pode melhorar o dia a dia da empresa.

Veja como essa tecnologia pode tornar os processos da sua empresa ainda mais práticos, rápidos, seguros e inteligentes.


Há alguns anos, Ao ouvir o termo inteligência artificial, parecia se tratar de algo futurista, pertencente a filmes de ficção científica ou algo do tipo. Porém, ela já existe hoje em dia, inclusive em produtos e serviços que utilizamos no cotidiano.

Seu potencial de crescimento é absurdo, e não é incorreto pensar que ela estará ativamente presente em todos os setores do mercado daqui a alguns anos, com benefícios que fazem os olhos de todos os amantes da tecnologia brilhar.

Prova disso é uma estatística da Juniper Research, que afirmou que o investimento em inteligência artificial será de aproximadamente US$ 2 bilhões em todo o mundo em 2018, mas deve atingir US$ 7,3 bilhões em 2022, ou seja, um crescimento esperado de 365% em apenas 4 anos.

Entenda exatamente o que é a inteligência artificial, como ela já existe e é utilizada hoje em dia e, principalmente, como pode estar no cotidiano da sua empresa.


» O que é a inteligência artificial?

É uma área da ciência da computação responsável pela criação de máquinas, equipamentos e sistemas inteligentes, que trabalham e reagem como os seres humanos. É como se eles fossem, literalmente, dotados de inteligência.

O objetivo dessa tecnologia é criar soluções que sejam capazes de aprender, planejar e resolver problemas, não apenas com o raciocínio lógico que os sistemas de computador oferecem, mas sim algo mais próximo ao pensamento humano.

Marvin Minsky e John McCarthy são considerados como os pais dessa tecnologia e descreveram, por volta de 1950, inteligência artificial como uma atividade feita por um programa ou máquina que, se um humano tivesse que fazer a mesma tarefa, seria dito que ele teria que ser inteligente para realizá-la.

O campo de pesquisa da inteligência artificial foi inaugurado como uma disciplina acadêmica em 1956, ou seja, há mais de 50 anos. Porém, há que se considerar os chamados “invernos da IA”, quando o campo deixou de receber recursos de pesquisa e ficou parcialmente parado.

Os maiores invernos foram entre 1974 e 1980 e, posteriormente, entre 1987 e 1993, embora também tenham havido outros períodos em que o desenvolvimento dessa área ficou parado ou se movimentou bem lentamente.

Porém, a partir do final do século XX e, principalmente, do início do século XXI, o assunto esteve muito em voga na comunidade da tecnologia e começou a crescer drasticamente.

Sistemas de inteligência artificial, também conhecida como IA ou AI (Artificial Intelligence), geralmente mostrarão pelo menos alguns comportamentos que são associados à inteligência humana, como os seguintes:

  • Planejamento;
  • Aprendizado;
  • Raciocínio;
  • Demonstração de conhecimento;
  • Solução de problemas;
  • Percepção;
  • Manipulação;
  • Em menor grau, inteligência social e criatividade.

Até então, as máquinas e equipamentos não eram capazes de demonstrar esses comportamentos, já que sua função era a de seguir comandos e programações que estavam restritas ao raciocínio lógico. Porém, com o advento da inteligência artificial, sua abrangência se torna muito maior


» Como ela está presente em nossas vidas hoje?

Em uma série de atividades, desde os assistentes pessoais nos celulares até os chatbots usados pelas marcas nos aplicativos de comunicação. Alguns exemplos práticos são os seguintes:

  • Assistentes nos smartphones, como Google Assistente, Apple Siri e Microsoft Cortana;
  • Carros inteligentes, como os fabricados pela Tesla;
  • Serviços de streaming de músicas (Spotify, Apple Music, Tidal) e de filmes e séries (Netflix, Amazon Prime);
  • Redes de anúncios online, como Google Ads;
  • Dispositivos inteligentes para casa (smart home), como Amazon Alexa, Google Assistente e Apple HomeKit;
  • Jogos de videogame, que podem criar níveis automaticamente para os jogadores;
  • Feeds das redes sociais, que exibem conteúdos que o usuário provavelmente gosta de acordo com seus interesses e interações nas redes e em outros sites.

Esses são apenas alguns exemplos, e é certo que dentro de um período de tempo não muito longo, a lista será muito maior,


» Como a inteligência artificial pode ajudar a sua empresa?

Essa ainda é uma grande dúvida por parte dos donos, gestores, coordenadores e demais colaboradores. Felizmente, a verdade é que todos os setores podem ser ajudados pela IA de alguma maneira.

A Adobe divulgou na 8ª edição do seu relatório anual “Digital Trends”, no início de 2018, que apenas 15% das empresas utilizam IA em suas atividades, número que deve aumentar para 31% nos próximos 12 meses, ou seja, um crescimento de 106,7% em apenas um ano.

A tendência ainda deve se manter por muito tempo, já que a disruptividade da AI chama muita atenção e abre inúmeras portas para sua aplicação nas empresas.


≡ Algumas das formas que a IA pode ajudar a sua companhia hoje são as seguintes:


» Melhorar o atendimento ao cliente

As ferramentas de inteligência artificial podem ajudar os colaboradores através de uma melhoria notável no atendimento e suporte ao cliente. Por exemplo, ela pode ordenar solicitações dos clientes, responder perguntas online e encaminhar mensagens, perguntas e problemas para a pessoa responsável.

Com isso, até mesmo as empresas de pequeno porte e com poder de investimento limitado podem oferecer um atendimento de alta qualidade aos clientes, comparável – ou até mesmo superior – ao oferecido pelos grandes players do mercado.


» Automatizar atividades do cotidiano

Muitas das atividades feitas em uma empresa são repetitivas, e a IA pode ajudar a realizá-las com mais agilidade, praticidade e segurança, sem abrir mão de um altíssimo nível de confiabilidade.

Sua aplicação pode ser ainda mais forte nos escritórios, com tarefas que vão desde a gestão da comunicação com os clientes até a elaboração de relatórios de negócios, tudo de forma automatizada.

Assim como vimos na dica anterior, a qualidade e a agilidade desse trabalho poderá ser similar ao que se vê nas empresas de grande porte, mas com apenas uma porção de seu investimento.

Com isso, os colaboradores terão muito mais tempo para o desempenho de suas outras atividades, o que pode ajudar o negócio a crescer e lucrar em um mercado onde a competitividade cresce a cada dia.


» Ter respostas imediatas com os assistentes de voz

As pesquisas feitas por voz eram observadas como algo prático e rápido, mas seu poder não era tão grande como hoje, principalmente com os gadgets para casas inteligentes e os assistentes nos celulares e computadores.

De acordo com a comScore, no ano de 2020, 50% de todas as pesquisas serão feitas por voz, um número que pode ser ainda maior do que parece.

A última estatística clara divulgada pelo Google a esse respeito diz que no ano de 2012 foram feitas 1,2 trilhões de pesquisas (ou 3,287 bilhões de pesquisas por dia). O número deve ter crescido drasticamente desde então, mas ao se basear nos mesmos dados, serão pelo menos 1,643 bilhões de pesquisas por voz por dia, ou 19.025 por segundo.

Tanto crescimento também poderá se aplicar às empresas, já que os colaboradores terão muito mais autonomia ao realizar pesquisas e solicitações com a voz e encontrar os resultados que desejam em apenas alguns segundos.

Colaboradores de todos os níveis hierárquicos poderão se beneficiar dessa tecnologia. Um gestor pode, por exemplo, agendar uma reunião em sua agenda sem nem precisar tocar na tela do celular, o que já poupa minutos valiosos de seu trabalho.


» A inteligência artificial veio para ficar

Não restam dúvidas de que a IA está em alta no mundo da tecnologia. O reflexo disso já pode ser visto em nosso cotidiano e sua aplicação tende a crescer drasticamente, até chegar um ponto em que ela se tornará indispensável no dia a dia.

Novas tecnologias tendem a trazer um pouco de dúvida e incerteza, mas com tanto potencial, é de se esperar que seu impacto seja tão grande quanto o advento da internet ou da computação em nuvem, entre vários outros exemplos de sucesso no mercado.

O ideal é que sua empresa comece a se preparar para a adoção da inteligência artificial em suas atividades. Seja um escritório de advocacia, um consultório médico, uma agência de marketing digital ou uma empresa de gestão de contas, essa tecnologia poderá contribuir poderosamente para seu crescimento no mercado.

Quer vender mais? Olhe para a página inicial do seu site.

Muitos empresários ao construírem um site desconhecem que a página inicial do site é a melhor ferramenta para gerar um alto volume de vendas e conversões.

Tenha em conta que a página inicial do seu site é o seu cartão de visita online, ou seja, é a primeira coisa que um (potencial) cliente irá ver.

Desta forma, se a mesma não for atrativa ou responsiva (adaptar-se a todos os dispositivos) ele irá deixar o site em menos de 5 segundos.

Posto isto, deixamos-lhe algumas dicas que deve ter em conta depois de comprar domínio e começar a fazer o seu site.


⇒ Como vender mais com a página inicial do seu site?

homepage é a primeira coisa que um cliente vê assim que entra no seu site. Contudo, a mesma não tem de estar carregada de informação.

Tem sim, de saber como seduzir o consumidor a navegar em várias páginas e consultar diferentes conteúdos.

Assim sendo, pense no que quer que o seu visitante faça quando ele abre o seu site, de forma a construir a home perfeita.

» Veja alguns dos pontos que deve ter em conta.


1 – Dar garantias

É importante que consiga provar desde o início que sabe do que é que ele está à procura. Como é óbvio poderá não ser a solução completa para os seus problemas, contudo, garanta-lhe que ali ele irá encontrar várias soluções para os mesmos.


2 – Gerar confiança

Nos dias que correm existem cada vez mais sites online, assim sendo, dependendo do seu tipo de negócio é importante que dê confiança aos seus clientes (esta questão é especialmente importante quando tiver a criar logotipo).

Por exemplo, pode colocar certificados, o símbolo de site seguro, o símbolo do pagamento seguro (essencial se for um e-commerce), certificações, testemunhos…

Tudo isto, embora possa parecer simbólico, vai dar confiança ao cliente para que ele faça aquilo que você quer (que muito provavelmente será comprar o seu produto ou serviço).


3 – Tenha pelo menos um CTA (Call to Action)

Uma CTA (também conhecida como chamada para a ação) é uma imagem ou um texto, que tem como principal intuito incentivar o visitante a realizar uma ação especifica (ver uma página, preencher um formulário, pedir um orçamento, solicitar um ebook…).

As CTA’s ajudam a guiar as pessoas ao longo do caminho para se tornarem clientes e aconselham quais os próximos passos a dar.


4 – Informações de contato

Muitas vezes os potenciais clientes querem abrir um site simplesmente para ver o contato telefônico, Endereço ou e-mail da sua empresa.

Assim sendo, pode optar por colocar um menu de contato visível logo no inicio da página e quem carregar lá tem acesso imediato a todos os dados da sua empresa.

Por outro lado, poderá também colocar essa informação no final da homepage, de forma a estar visível se o cliente gostar do que vir e quiser contactar sem ter de estar à procura do contacto.

Estes são os 4 pontos a ter em mente quando resolver criar a página inicial do seu site. Se seguir estas dicas, vai ser mais simples vender.

DIY – aprenda a gerenciar as contas do seu negócio.

Saber como manter as contas e o caixa sempre no positivo faz toda a diferença entre o sucesso ou o fracasso para a sua empresa!


Gerenciar um negócio é sempre um grande desafio, seja pela primeira vez na vida ou em sua décima empresa. Cada uma traz suas particularidades e diferenças, ou seja, não existe um manual de instruções perfeito para todos os casos.

Mesmo assim, existem algumas dicas que você pode seguir para facilitar essa tarefa tão árdua e fazer com que seu dia a dia como gestor seja mais prático, sem surpresas desagradáveis e nem o tão temido caixa no vermelho.

É claro que o processo será mais complicado no começo, mas você se tornará mais experiente e capacitado com o passar do tempo, o que tende a manter a saúde financeira do seu negócio sempre lá em cima!


» Dicas fundamentais para gerenciar as contas da sua empresa

Seguir a todas essas dicas de uma vez pode ser difícil, mas se você começar de uma em uma, logo terá um negócio perfeitamente organizado e gerenciado, que só te trará ótimos frutos – e lucros!


#1 – Tome nota de todas as contas

Calma, isso não quer dizer que você vai ter que anotar tudo manualmente, ainda mais com o grande número de softwares disponíveis atualmente para a gestão financeira de uma empresa, mas nenhum valor deve passar despercebido.

Essa é uma questão em que muitos gestores pecam, muitas vezes sem intenção. Todos os débitos e todos os créditos devem ser devidamente controlados para evitar surpresas com a sua empresa.

Por isso, não importa se você teve que adquirir um novo equipamento, que custou alguns milhares de reais, ou se precisou comprar mais pó de café para abastecer a máquina, todos os valores devem entrar no balanço financeiro.


#2 – Se precisar, peça ajuda

A empresa pode ser sua no papel, ter o seu nome no CNPJ e ter tido seu nome fantasia escolhido por você depois de vários meses, mas a gestão da sua empresa pode precisar da ajuda de outras pessoas.

Você pode contar com a ajuda de alguém da sua família ou um amigo de confiança se estiver com o orçamento apertado e ainda não tiver uma rentabilidade suficiente para a sua empresa. Assim, a organização será mais simples.

Caso a empresa já esteja com um bom crescimento e um número considerável de clientes, que resulte em um bom lucro ao final do mês, considere contratar uma pessoa para lhe ajudar com isso. Acredite, os resultados farão valer a pena.


#3 – Programe gastos inesperados

Ninguém deseja ter gastos indesejados com a sua empresa, ainda mais quando a importância de se ter tudo organizado foi tão ressaltada, mas sempre existe a possibilidade de ter que gastar com algo que não estava no roteiro.

Equipamentos que quebram, colaboradores que pedem as contas, furtos… São vários os fatores que podem te levar a ter que gastar mais no final do mês, e o melhor a se fazer é se precaver para isso.

Na hora de planejar os gastos para o próximo mês, sempre inclua um valor para despesas emergenciais, que pode variar de acordo com o tamanho da sua empresa. Assim, caso precise gastar, o baque não será tão grande assim.



#4 – Preste atenção em todas as faturas

Não apenas o valor das contas deve ser analisado, mas sim o seu conteúdo. É até uma praxe do mercado pagar as faturas de água, luz, telefone, internet e demais serviços sem nem olhar para elas, mas isso não é bom.

Ao se atentar a cada uma das faturas, você saberá por que o valor final foi aquele e, mais importante, se ele foi justo ou não, já que as empresas podem cobrar valores desproporcionais ou incorretos por engano.

Para evitar esse problema, analise com cuidado as faturas, compare com as dos meses seguintes e entenda pelo que você realmente paga. Assim, as chances de ser enganado diminuem consideravelmente.


#5 – Procure a opinião de pessoas mais experientes

Sempre existe alguém que pode lhe ajudar com ideias, planos e estratégias para a gestão das contas do seu negócio, mesmo que ela não converse com você fisicamente.

Existem vários blogs, canais no YouTube e colunas em revistas, jornais e sites de notícias onde gestores de empresas de sucesso contam um pouco da sua experiência para as pessoas que ainda estão no início da sua jornada.

Separar um período do seu dia para consumir esses conteúdos pode ser uma boa, ainda mais quando se tratam de horários “perdidos”, como o tempo em que você fica no transporte público, por exemplo.


#6 – Distraia sua mente

Parece um pouco estranho que essa seja uma das dicas para melhorar a gestão das contas da sua empresa, mas acredite: ela tem muito mais importância do que você pode imaginar à primeira vista.

Você pode (e deve) investir o seu tempo para cuidar da empresa, mas a partir do momento em que a sua vida se resume unicamente a isso, a estafa mental pode ser tão grande que você perderá suas energias para continuar.

Separe um tempo para ficar com sua família, seus amigos e para relaxar a mente da forma que você mais gosta. Pode ser assistir a uma série, jogar videogame, jogar futebol ou tomar uma cerveja, mas o lazer também é fundamental para o seu sucesso.


#7 – Aprenda com os erros

Mesmo que você siga a todas essas dicas e a outras sugestões de pessoas de sucesso, ainda assim você vai errar. As contas do mês podem fechar no vermelho, você pode se esquecer de alguma dívida ou enfrentar outro problema, mas fique calmo.

Acertar é muito bom, mas nós aprendemos demais com os erros. Você já saberá o que deve (e o que não deve) fazer das próximas vezes, o que colabora tanto para o seu crescimento profissional quanto pessoal.

Portanto, saiba valorizar as vitórias, mas também dê os devidos créditos às derrotas, já que elas te darão energia e motivação para se manter firme na caminhada rumo ao sucesso.


♦ Torne-se um gestor de sucesso!

Cada uma dessas dicas será de grande valia se você deseja se tornar um ótimo gestor de empresas. Cada minuto investido e cada gota de suor serão recompensados durante sua jornada.

Por isso, tenha tudo sob controle, peça ajuda quando necessário, programe-se com cuidado e invista na auditoria de contas, mas não se esqueça de viver uma vida feliz, que é o que você tem de mais valioso!

Controle de gastos para sua empresa: o que você está fazendo de errado?

Saber quais são os principais detalhes para se atentar no controle das despesas de uma empresa é fundamental para obter bons resultados.


São muitos os gastos de uma empresa, e disso nós sabemos muito bem. As despesas fixas e as variáveis se juntam e pronto: o resultado é um valor negativo bem grande, que quase sempre assusta só de olhar.

Se você já passou por isso, então sabe da importância que existe no processo de controlar os gastos. Quem não tiver um controle absoluto de cada centavo que é gasto nas contas a pagar pode passar por sérios problemas.

Então, você começa sua tentativa em controlar esses gastos, mas os valores não batem, sempre falta alguma coisa, sobram outras tantas e, no final das contas, o susto continua o mesmo – se não for ainda maior. E agora, o que fazer?

Fique tranquilo: isso é mais do que normal. Ninguém começa a fazer uma coisa e já se torna um especialista na primeira vez! Você precisa saber quais são alguns dos principais erros que acontecem durante o controle de gastos e qual é a melhor solução para eles. Assim, você conseguirá superá-los e obter os resultados que espera depois de tanto trabalho!


≡ Principais erros cometidos no controle de gastos

Essa lista te ajudará a ver a situação de uma forma panorâmica, para que nada passe despercebido e a gestão financeira da sua empresa seja feita com maestria.


1 – Desconsiderar gastos

Pagamento de salários, matéria-prima, direitos trabalhistas, aluguel do ponto comercial… Com certeza, tudo isso já está na sua lista. Mas, e aquele cafezinho para os colaboradores, a TV a cabo para o horário do almoço e o churrasco da empresa no final do mês?

Sem dúvidas, um dos principais erros do controle de gastos é, simplesmente, desconsiderar alguns gastos, por acreditar que eles não terão nenhum impacto considerável no final das contas, o que não é verdade.

Os exemplos citados acima são muito comuns, e se colocados na balança podem te surpreender. Café todo dia, TV a cabo e churrasco no fim do mês podem, facilmente, custar R$ 500 por mês. Por ano, já são R$ 6.000.

Pode ser que um buraco de R$ 500 não pareça tão grande no controle de despesas, mas R$ 6.000 já faz mais diferença, embora seja o impacto de uma falta de organização que existe em muitas empresas.

Isso não quer dizer que esses gastos precisam ser cortados, mas sim controlados, da mesma forma que todos os outros. Afinal, não importa se a despesa for de 10 centavos ou de dez reais, ela precisa entrar na conta.


2 – Tentar controlar tudo sozinho

Você pode ser o gestor da empresa, ter um cargo bastante importante ou até mesmo ser o dono. Isso significa que você tem ótimas capacidades gerenciais, mas controlar as despesas pode não ser o seu forte.

Muitos gestores tentam fazer tudo sozinho, sem o auxílio de uma pessoa especializada, e o resultado nem sempre atinge suas próprias expectativas. Esse não deve ser motivo de descontentamento, mas sim um sinal de alerta.

Se esse for o seu caso, mantenha a calma, já que você não é obrigado a ter as qualidades necessárias para controlar as despesas de uma empresa. Porém, saiba que você precisará da ajuda de pessoas especializadas.

O setor financeiro da empresa pode ser responsável por esse controle, já que eles trabalham diretamente com as despesas e saberão melhor como agir. Abrir mão dessa atribuição não será uma desistência, mas sim uma decisão sábia.


3 – Negar a ajuda da tecnologia

Já se foi o tempo em que papel, caneta e calculadora eram as únicas possibilidades para controlar os gastos de uma empresa. Cada uma dessas ferramentas ainda tem utilidade, é claro, mas é preciso usá-las nas ocasiões certas.

De acordo com uma pesquisa de 2017 da Technousa, 81% das empresas já implementaram ou estão no processo de implementação de softwares de gestão, o que é um dado bastante curioso.

Se tantas empresas assim recorrem à tecnologia para que consigam gerenciar todos os seus processos, inclusive o controle de gastos, é claro que isso não é feito em vão. Afinal de contas, a inovação vem para ajudar, e não para atrapalhar.

Ao contar com softwares específicos para a gestão da sua empresa, será muito mais fácil ter todos os dados à disposição, além de ter a certeza de que nenhum deles foi esquecido. Além do mais, é muito mais fácil ter tudo pronto do que ter que resolver na calculadora.


4 – Não dar a devida atenção às despesas fixas

Como o próprio nome indica, as despesas variáveis mudam de mês a mês. Pode ser que elas apareçam apenas de vez em quando ou que seu valor mude drasticamente de um período ao outro.

Muitas vezes, as despesas fixas são deixadas em segundo plano, justamente porque são fixas e sempre estarão no seu orçamento. Esse é mais um dos grandes erros que podem ser cometidos em sua empresa.

Não é porque são custos fixos que eles não precisem ser analisados. A fatura telefônica, por exemplo, virá todos os meses para a sua empresa, mas isso não quer dizer que seu valor não deva ser analisado e até mesmo contestado, se necessário for.

Com uma análise mais minuciosa dessas despesas, é possível descobrir lacunas que estejam abertas e você nem sabia. Assim como contas de água muito altas podem indicar um vazamento na tubulação, a analogia também se aplica a outras áreas.

Reúna todos os gestores e colaboradores que possam ajudar a identificar problemas nas despesas e façam um brainstorming, com ideias de tudo o que pode ser feito para reduzi-las. Qualquer economia, mesmo que pequena, é muito bem-vinda.


≡ Otimize o controle de gastos e economize muito em sua empresa

Se você já empregou algum esforço para poder controlar as despesas da sua empresa, parabéns. Mesmo que não tenha sido completamente bem sucedido na primeira tentativa, o primeiro passo já foi dado.

Depois de aprender boas dicas, será bem mais fácil manter um controle minucioso de cada gasto da sua empresa. É claro que dará trabalho e pode demorar um tempo até que tudo esteja ajustado, mas o esforço valerá muito a pena.

Por isso, seja através da consideração de todos os gastos, ainda que mínimos, do auxílio de softwares específicos ou da auditoria de contas, supere os erros um a um e veja como isso será fundamental para uma gestão impecável da sua empresa!

Empresas e a adoção das tecnologias blockchain.

Segundo a Equinix – empresa global de interconexão e data center – o blockchain privado deve passar a atrair mais empresas em 2018. Principalmente por serem redes fechadas, em que a gestão da identidade digital é feita de forma mais segura.

As provedoras das redes para diferentes setores precisarão hospedar seus dados em múltiplos locais, de forma distribuída, para garantir baixa latência.

Este tipo de ambiente é encontrado dentro de ecossistemas como o da Equinix, cuja plataforma global pode dar suporte a redes distribuídas por todo o mundo.


O que afinal é o Blockchain?

Blockchain, em sua essência, é simplesmente uma nova tecnologia de rede de distribuição de informações, com algumas propriedades especiais, como:

  1. Sem um único administrador, baseia-se em um modelo de confiança compartilhada entre usuários, totalmente descentralizado.
  2. Os registros não são atualizáveis, assim não há como alterar transações realizadas. Ele permite apenas inclusões.
  3. Tem um único esquema lógico (virtual) global que é armazenado por meio de várias cópias físicas distribuídas.

Redes públicas ou privadas?

A principal diferença entre o blockchain público e privado é o mecanismo de consenso. No público, os usuários não se conhecem, portanto, o nível de confiança é baixo, necessitando uma sobrecarga computacional maior. Assim, a verificação ou validação de cada transação é bastante alta e demorada.

Já na conexão privada, a confiança é maior, pois é baseada na permissão de acesso. É possível fazer uso de algoritmos compartilhados mais simples e rápidos. Como resultado, em vez de algumas transações por segundo, é possível fazer milhares delas.

Além disso, em blockchains privados, os registros das transações podem ser criptografados e estão disponíveis apenas para as partes autorizadas, o que, por sua vez, ajuda a satisfazer os requisitos de privacidade dos participantes.


Como a tecnologia está sendo usada hoje?

O uso do blockchain vem sendo feito basicamente das seguintes formas:

  1. Como meios de distribuição de criptomoedas, como Bitcoin.
  2. Como uma plataforma (autorizada) para trazer benefícios de custo e eficiência nos processos de negócios das empresas.
  3. Como ferramenta para garantir integridade e segurança de dados.

Quais os benefícios para os usuários?

Os usuários estão estudando seriamente a tecnologia blockchain em verticais como supply chain, trading e mercado financeiro, governo e no segmento de health care. Eis a razão:

  • Manutenção de registros inalteráveis: agências governamentais e empresas estão interessadas em manter o controle de dados, com a garantia de não serem alterados.
  • Utilização da ferramenta para denuncia de notícias falsas que circulam pela internet.
  • E- Voting: na Estônia, por exemplo, a tecnologia blockchain já é utilizada pelo governo para computar votos eletrônicos.
  • Desenvolvimento de um marketplace descentralizado, alimentado por um livro-caixa distribuído, escalável e em tempo real.
  • A adoção de criptomoedas está ganhando impulso à medida que mais empresas de grande porte passaram a aceitar criptomoedas. Uma das vantagens é a possibilidade de operar em nível de microcentavo, dispensando arredondamentos. No entanto, as redes de blockchain públicas apresentam problemas, como invasões, por exemplo.
  • Eliminação do intermediário: hoje, as transações financeiras que cruzam as fronteiras entre países passam por intermediários que acrescentam custos e retardam a circulação. O blockchain elimina intermediários, com transações mais rápidas, seguras e menos dispendiosas.

Então qual será o futuro?

“A Equinix acompanha de perto as tecnologias blockchain e seu funcionamento para que seus clientes possam otimizar sua utilização dentro das operações de TI e modelos de negócios”, explica Wellington Lordelo da Equinix Brasil.

Segundo o executivo, inicialmente, o uso do blockchain pelas empresas tem acontecido com o intuito de completar os sistemas de TI existentes, sem, no entanto, adotá-lo em seus principais processos corporativos.

A adoção do blockchain não envolve apenas integração da tecnologia à uma infraestrutura de TI, mas trata-se de um negócio que também está mudando processos internos.

É preciso que a organização perceba o que a tecnologia pode fazer pelo seu negócio e o potencial do valor agregado. “Isso ainda pode consumir vários anos em um processo de tentativa e erro”, acredita Lordelo.

É certo que, em breve futuro, as empresas estarão envolvidas em múltiplas redes de blockchain (por exemplo, supply chain, finanças etc.) e vão querer que seus negócios estejam localizados próximos de seus parceiros.

Neste sentido, a alta densidade de rede e cloud da plataforma de marketplace da Equinix serão importantes ferramentas para a adoção do blockchain, tanto para fornecedores, quanto para empresas.

Principalmente em um cenário em que empresas passem a atuar com diferentes modelos contratuais, mas queiram garantir a legitimidade do acordo entre ambas partes.

Como o big data pode ajudar sua empresa a conquistar resultados positivos

Sua empresa pode se beneficiar ao aderir ao processamento de dados contínuo e em tempo real, mas é preciso se preparar.

Anteriormente apontado pelos especialistas como “the next big thing”, o big data já é uma das principais formas de uma empresa gerar valor real por meio da tecnologia. Saber aproveitá-lo com sabedoria pode ser um fator de sucesso para o seu negócio.

O big data nada mais é do que uma grande quantidade de informação proveniente de fontes diversas, principalmente online. Além do volume de dados, o big data é veloz e pode fornecer diferentes tipos de informações.

Ao cruzar os dados e traduzir as informações, é possível aplicá-los nas estratégias da empresa e gerar insights que melhorem o desempenho do seu negócio, seja ele qual for. Inclusive, já existem empresas 100% orientadas por dados.

Na prática, o processamento de dados deve ter ao menos um objetivo que gere valor para a empresa. Entre os usos mais frequentes para apoiar a eficácia empresarial, o big data serve para realizar previsões de mercado e prognóstico, aprimorar as operações, fazer a gestão de talentos e identificar problemas.


Dicas para usar big data

A aplicação de técnicas de big data é específica para cada cenário, considerando o tipo de empresa, as informações que você precisa e como pretende aproveitá-las. Descubra como se iniciar nessa novidade.


Reflita se você realmente precisa

Assim como qualquer mudança, você precisa pensar se a sua empresa realmente precisa aderir a essa novidade. O big data não é um modismo, é uma ferramenta estratégica que precisa sem implementada com um objetivo para fazer a diferença.

Vale lembrar que o big data é um investimento de tempo, dinheiro e até mesmo de mudança na cultura empresarial já estabelecida. Só se aventure depois de uma boa reflexão e após fazer um planejamento completo para isso.


Estimule a mudança de mentalidade

Especialmente nas empresas tradicionais, a implementação do big data pode acarretar em resistência e objeções dos funcionários. Se papel é deixar claro a importância de tomar decisões baseadas em informações e métricas 100% confiáveis.

Líderes e gestores devem liderar a mudança, usando os dados em suas análises e processos de tomada de decisão e reconhecendo os funcionários que incorporam o big data em suas tarefas cotidianas.


Monte uma equipe

Para extrair o máximo de informações relevantes, é melhor contar com uma equipe especializada. Quanto mais detalhes e análises você precisar, mais importante esse time será para atingir o objetivo.

Considere a contratação de um cientista de dados. Esse novo profissional é capaz de adquirir os dados e então limpar, selecionar, organizar e prepará-los para que suas habilidades matemáticas, estatísticas e tecnológicas gerem os insights e a inteligência de negócio que você necessita.


Procure a solução adequada

Cada vez mais são criadas ferramentas que capturam, processam e entregam informações a partir de recursos de análises avançados e aprofundados. Amazon, Google, Windows e Facebook são alguns exemplos de players com os quais você pode começar.

A democratização dos dados permite que você mesmo ou um usuário comum desempenhe essa função. No entanto, ter conhecimentos básicos sobre TI pode auxiliar a otimizar algumas tarefas.


Use a nuvem a seu favor

Trabalhar na nuvem traz uma série de benefícios: os dados podem ser acessados de qualquer local, sua implementação é mais barata e a segurança é muito mais confiável. Porém, o ideal é contar também com uma solução de armazenamento local.

Procure por uma solução que permita que a sua empresa aproveite por completo as funcionalidades da plataforma de big data. Atualmente, muitas empresas preferem uma configuração híbrida de nuvem e armazenamento local para atender às necessidades.


Realize a manutenção

Por se tratar de um processo que envolve tecnologia, a atualização é essencial, não só para as ferramentas escolhidas, mas também para os funcionários que atuam diretamente com o big data e aqueles que são impactados pelas informações coletadas.

Dessa forma, você poderá garantir a qualidade do conteúdo, da segurança, das decisões estratégicas, da operação e da satisfação do cliente, o que, consequentemente, fará a diferença para o seu negócio prosperar.


Apresentando os dados

Para fazer com que a informação gerada seja facilmente compreendida, é essencial pensar em uma forma de apresentá-la. Na maioria das vezes os recursos visuais são os mais utilizados.

O desafio, no entanto, é entender como usar tabelas e gráficos com diferentes estruturas, formatos, tamanhos, cores e fontes para exibir o volume de informações que você precisa apresentar. Para isso, conte com ferramentas como Microsoft Power BI, Tableau e bibliotecas Java Script.


Não deixe de realizar uma auditoria

A auditoria de contas tradicionalmente não é realizada em processos tecnológicos, porém, ela pode e deve fazer parte do big data. Ela deve ser entendida como um processo pontual, capaz de solucionar um problema específico ou apoiar uma determinada fase de um projeto.

Além disso, a auditoria está relacionada à segurança regulatória das empresas, uma exigência para diversos negócios e para diversas áreas de atuação de uma mesma empresa. Assim, será possível controlar e aprimorar de forma contínua as áreas envolvidas com o processamento de informações.

5 dicas para micro e pequenas empresas venderem mais em 2018.

Aumentar o número de vendas é algo que todo empreendedor/empresário deseja e necessita, empresas precisam a todo momento potencializar suas vendas, e por isso, cada vez mais qualificações são necessárias.

Antes de tudo, é necessário que empresários tenham em mente que não basta apenas vender mais, é importante vender com qualidade, uma vez que isso evita retrabalho, reclamações e principalmente problemas, que podem manchar a imagem da empresa e transformar clientes em inimigos indesejáveis.

Embora toda empresa deseje vender mais, é preciso estar pronto para aumentar o número de vendas para problemas não aconteçam. O grande desafio de toda e qualquer empresa não está no simples fato de vender mais, mas sim, vender de modo correto.

Saber vender é o primeiro requisito para vender mais, uma vez que antes de conseguir novos clientes, ou vender em maior quantidade para mesmos clientes, é importante vender direito e realmente satisfazer os clientes atuais.

Apenas quando os clientes atuais estiverem realmente satisfeitos é que uma empresa estará apta a captar/conquistar novos cliente, somente quando um cliente estiver fidelizado é que novos clientes devem ser buscados.

É exatamente um trabalho de qualidade realizado para determinado(s) cliente(s) que irá capacitar uma empresa para aumentar sua cartela de clientes.

Sendo assim, seguir algumas dicas pontuais é de suma importância na tarefa de alavancar as vendas nesse ano que ainda está começando. Se você quer aumentar as vendas de sua empresa, então esse texto foi feito para você.

Acompanhe as dicas a seguir e tire proveito


1 – Crie vínculos

Para vender mais, é necessário gostar de lidar com clientes e saber compreender suas necessidades. A venda é uma parceria, por isso, criar um vínculo com seus clientes é fundamental para uma estreitar laços.

Essa relação próxima com o cliente cria identificação e credibilidade, a ideia não é agir do mesmo que o cliente age, mas acompanhar seu ritmo e entregar o que ele precisa.


2 – Evite mentiras e omissões

Esse é um verdadeiro mandamento das vendas. Mentir para um cliente pode ser fatal para determinada venda e também para os eu negócio.

Uma mentira pode criar uma falsa expectativa de atendimento que não pode ocorrer no futuro próximo, minar a relação empresa-cliente e ser como uma mancha para toda e qualquer instituição. Por isso, honestidade sempre.


3 – Atenda de modo personalizado

Quem trabalha com um grande fluxo de clientes, terá mais dificuldade de trabalhar de modo personalizado com seus clientes, é claro, porém, se sua cartela for pequena ou mediana, tente chamar seus clientes pelo nome, mantenha contato frequente para que se lembre que sua empresa está à sua disposição. Isso fará com que o cliente se sinta especial e sempre que precisar de algo se lembre de sua empresa.

Uma dica legal para conseguir atender o cliente de modo personalizado é não perder tempo com processos que podem ser automatizados. Na parte financeira, por exemplos, as planilhas de conciliação bancária podem ser substituídas por softwares (clique aqui para saber mais).


4 – Evite discordar do cliente

A velha máxima de que o cliente sempre tem razão deve ser levada em consideração. Um dos pilares de um atendimento eficaz é acompanhar o ritmo do cliente e evitar discordar dele.

É possível não concordar sem causar grandes atritos, ou seja, sem bater de frente, se o cliente te procura dizendo que deseja determinado material/objeto de uma marca específica, é preciso saber contornar a situação e mostrar a ele que outras opções também podem ser úteis para sanar seu problema.


5 – Por fim, fidelize seu cliente

Uma das formas de vender melhor inclui a fidelização do cliente, convencê-lo a voltar. Uma das formas de fazer isso, é possuir um estoque de qualidade para atender demandas. Um cliente sempre volta se encontra o que procura.

Atender de modo educado, pedir opiniões de melhorias aos clientes, fornecer suporte pós-venda e investir em treinamento de equipe são formas de mostrar ao seu público que ele é especial e único, e ao se sentir dessa maneira, sua empresa será certamente procurada novamente.

Seguir essas simples dicas é sinônimo de aumento de vendas. Coloque em prática o que aprendeu aqui e colha todos os frutos nesse novo ano que está apenas começando.