Yves Piat

Crítica | Nefta Football Club

No cartaz de Nefta Football Club, a frase de efeito para chamar atenção do público é: “dois irmãos encontram um burro usando fones de ouvido no deserto”. E fica a impressão que o diretor francês Yves Piat, em seu segundo curta, seguindo Tempus Fugit, de 2001, primeiro imaginou justamente essa situação e, depois, escreveu um roteiro ao redor. Ou isso ou, pior ainda, ele teve a ideia para a cena final – que não abordarei aqui para não dar spoiler – e, então, criou quase 17 minutos de história para chegar até ela.

E não haveria problema algum se fosse algo assim se Nefta Football Club oferecesse mesmo que marginalmente mais do que dois irmãos tunisianos encontrando um burro com fones de ouvido na fronteira entre seu país e a Argélia. Porque sim, a situação em si é inusitada e razoavelmente divertida – especialmente quando o dono do burro, desesperado atrás do animal, explica o porquê de ele estar com fones de ouvido -, mas… é tudo o que posso dizer de realmente positivo sobre o curta. Ah, claro, as duas crianças são simpáticas e tal, mas não há tempo ou vontade do texto para criar uma conexão maior com elas e a dupla que procura o burro é literalmente esquecida depois que a interação de natureza musical acaba.

Não que o curta não seja agradável ou que não valha a pena assistir os rápidos 17 minutos, mas é que, mesmo considerando o tom cômico que Piat tenta imprimir, a obra não consegue nem ser exatamente uma comédia ou um drama, ficando em um limbo entre uma coisa e outra sem qualquer tentativa de se trazer um subtexto que faça a experiência ganhar mais camadas. É, mal comparando, como um esquete do Saturday Night Live em um dia particularmente pouco inspirado, que possivelmente levará a sorrisos, mas não a risos e que será esquecido tão logo os créditos começam a subir na tela.

Até mesmo a fotografia só faz o básico, com planos gerais que se aproveitam da bonita paisagem desértica da região, mas que param por aí, sem qualquer finesse técnico que a faça ir além do que mostra. É, muito sinceramente, a definição de platitude audiovisual.

Nefta Football Club, portanto, ganha pontos pela premissa, mas perde quase tudo em sua execução trivial demais que desperdiça o potencial cômico e possíveis comentários sócio-econômicos aqui e ali além do óbvio ululante. Uma pena.

Nefta Football Club (França, Tunísia, Argélia – 2018)
Direção: Yves Piat
Roteiro: Yves Piat
Elenco: Eltayef Dhaoui, Mohamed Ali Ayari, Lyès Salem, Hichem Mesbah
Duração: 17 min.