Redes Sociais Segurança

Seguidores no Instagram: quais os benefícios?

Os seguidores no Instagram possuem a capacidade de tornar um
negócio ou perfil mais lucrativo, rendendo melhores oportunidades.

Muitas das pessoas que desejam lucrar com o Instagram se
esquecem da importância dos seguidores.

Mal sabem elas que sem seguidores as oportunidades se tornam menores. Seguindo nesta linha de raciocínio, hoje em nosso artigo vamos tratar de modo especial sobre os seguidores no Instagram.

Dessa maneira vamos lhe mostrar quais são os benefícios de
aumentar as pessoas que lhe seguem, siga conosco para aprender.


O que são seguidores no Instagram?


De fato nos seguidores no Instagram podem ajudar muito no crescimento do seu perfil, seja ele um perfil pessoal ou comercial.

Essas pessoas são aquelas que acompanham seus posts e
novidades, elas gostam de acompanhar seu dia a dia.

Podemos dizer que os seguidores são aqueles que gostam do que
você oferece, ou seja, pessoas que se importam com seus conteúdos.


Existem muitos conteúdos e públicos que podem ser investidos, como:


  • Culinária
  • Tecnologia
  • Novidades do dia a dia
  • Emagrecimento, etc.

Você precisa investir no público correto e conteúdos corretos
para aumentar seu número de seguidores.


O que são seguidores segmentados?


Certamente se você investe no Instagram deve ter ideia de
quem é o seu público alvo.

Investindo e alcançando a essas pessoas você terá o que
chamamos de seguidores segmentados.

Que são indivíduos que realmente fazem parte do seu público
alvo.

Investindo nos seguidores segmentados você terá mais
oportunidades no mercado, principalmente se o seu Instagram for de negócios.


Porque devo investir em seguidores no
Instagram?


App do Instagram no celular
App do Instagram no celular

Seja qual for o seu objetivo dentro do Instagram, você não
irá alcançar sem ser visto pelas pessoas.

Justamente por esse motivo é essencial investir em seguidores
na rede social.

Quanto mais seguidores seu perfil ou página tiver, isso
significa que você tem sido visto pelas pessoas e quem é visto é lembrado.


Benefícios dos seguidores do
Instagram


Você verá agora em nosso artigo quais são os benefícios de
aumentar seu número de seguidores no Instagram.

Desde já digo que esses benefícios podem ser conquistados
facilmente, existem muitas estratégias que podem te ajudar.


>> Mais curtidas e popularidade


Decerto quando não temos muitos seguidores é difícil
conseguir curtidas, precisamos investir em muitas estratégias, como:

  • Usar Hashtags criativas
  • Maçar seguidores nos comentários
  • Apelar nos conteúdos, etc.

Isso não será tão necessário com um número alto de
seguidores, eles irão curtir suas postagens.


>> Torne-se famoso


Quanto mais seguidores e curtidas, mais famoso você será no
Instagram.

Inclusive existem algumas pesquisas que classificam essas pessoas, e nosso brasileiro Carlinhos Maia se encontra em ótima posição.

Devo lembrar que a tendência é sempre aumentar o número de
seguidores, pois cada vez mais pessoas se interessam.


>> Tenha mais oportunidades


As oportunidades no mercado melhoram para quem possui altos
números no Instagram.

Você conseguirá vender mais e conseguirá oportunidades de parcerias.

Não perca essa oportunidade!


Como conseguir seguidores no
Instagram?


Quando estamos falando de conseguir seguidores no Instagram
existem muitas estratégias que podem ser executadas.

Uma grande ideia que vem fazendo sucesso atualmente é comprar seguidores no insta, onde você conseguirá seguidores pagando por isso.

O valor não é alto e os resultados de fato aparecem, quem
sabe essa será uma perfeita oportunidade para você.

Outra recomendação é que você invista em conteúdos
relevantes, conteúdos que de fato interessam seu público.

É preciso que os conteúdos postados prendam a atenção do
público, a ponto de resultar em alcances positivos.

Essas foram as informações sobre os seguidores do Instagram,
coloque em ação alguma estratégia de aumentar seus números e tenha resultados.

App de redes sociais no Smartphone
App de redes sociais no Smartphone

Conheça os principais riscos do compartilhamento de informações nas redes sociais.

Saiba os perigos que você pode ter que encarar ao se expor na internet.


O surgimento de ferramentas de blogs, que permitiam a pessoas comuns escreverem na internet o que bem entendiam, trouxe consigo o perigo da exposição exagerada na rede.

Redes sociais apenas intensificaram isso, criando uma situação que acaba demandando o uso de, por exemplo, seguro celular para garantir sua integridade online.

Com a popularidade de redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram, ficou muito fácil para o usuário abrir seu smartphone ou computador e compartilhar fotos, pensamentos e atividades para os seus contatos.

Se por um lado isso pode aproximar pessoas queridas, o compartilhamento excessivo de suas informações pode atrair os olhares de pessoas mal-intencionadas, que podem trazer dano moral e físico para você.


1 – Roubos

Imagine a seguinte situação. Você posta no Twitter a vontade de tirar férias. Durante meses, postagens nesta e em outras redes sociais mostram bens que você possui na sua residência.

Em algum momento, você revelou aproximadamente onde ficava a sua casa, seja por geolocalização ou por fotos que mostravam pontos de referência.

Suas férias finalmente chegam e você sai viajar. Comenta no Twitter, compartilha fotos no Facebook e Instagram, mostrando que está longe de casa. Quando retorna, alguém entrou na sua residência e levou seus bens. Como eles sabiam que você não estaria lá?

Exatamente, postagens em redes sociais tendem a mostrar demais por onde anda e quando, tornando os usuários dessas redes alvos fáceis para roubos. Isso poderia ser evitado ao saber exatamente para quem você revela detalhes da sua vida na internet.


2 – Difamação

Um dos riscos que redes sociais trazem e que muitas pessoas não levam em consideração é da criação de fakes para difamar alguém.

Você posta suas fotos, as coisas que faz e suas opiniões nesses sites. Por algum motivo, alguém cria uma antipatia por você e resolve se vingar.

Envolto no manto do anonimato, a pessoa recolhe as informações que você compartilhou livremente e utiliza tudo para encontrar um meio de arruinar a sua imagem. Montagens, perfis falsos e perseguição não são atividades estranhas nos dias de hoje.

Muitos aplicam golpes, pedindo dinheiro para sumir com perfis falsos e com supostas informações difamatórias. Nesses casos, além de ser necessário contatar autoridades, muitas vezes o estrago já está feito.


3 – Sequestros e agressões físicas

Além da difamação, uma exposição exagerada nas redes sociais pode acabar gerando casos de agressões físicas e até mesmo sequestros. Digamos que você, após ter feito um comentário em alguma rede social como Facebook, encontrou um desafeto.

Palavras acaloradas foram trocadas, muitas vezes potencializadas pela liberdade perigosa que o mundo online nos traz, e você acha que tudo acabou por ali. O problema é que você não sabe como realmente são pessoas desconhecidas na sua vida fora da internet e, aquele desafeto pode ser alguém violento.

Você continua sua vida, postando fotos dos lugares que costuma ir, comentários sobre atividades e eventos que pretende participar. Quando está em algum desses lugares, é abordado por alguém que não desejaria, o seu desafeto.

Casos como esse aconteceram mais de uma vez em todo mundo, gerando situações com agressões físicas por causa de bate boca inofensivo na internet e, até mesmo, sequestros.

Tudo causado pelo compartilhamento exacerbado de informações em redes sociais.


≡ Então por que as pessoas continuam compartilhando tudo?

A ideia de falar para o mundo o que você faz e onde vai parece algo que não faz muito sentido, mas existe uma busca por aceitação e, muitas vezes, uma forma de criar uma identidade diferente da real no mundo digital.

Em 2012, um estudo feito pela Universidade de Harvard tentou entender o motivo pelo qual pessoas compartilham sua vida em redes sociais, muitas vezes ficando viciadas nesses sites.

O chamado oversharing (do inglês “compartilhar demais”) é uma atividade que, em algumas pessoas, funciona trazendo ao cérebro sensações similares ao prazer proporcionado por comida ou sexo.

A partir do momento em que você começa a compartilhar demais sobre a sua vida, em vez de apenas criar uma via de contato com outras pessoas, pode acabar criando a possibilidade de sofrer danos morais e físicos, além de também pode estar piorando sua saúde mental.

Em entrevista à revista TIME, a PhD em pesquisas de psicologia Peggy Drexler disse que o oversharing é um reflexo da maneira como reagimos ao ver outras pessoas compartilhando suas vidas.

A nossa “vontade de ouvir” nos faz querer acompanhar cada vez mais pessoas, muitas das quais não temos necessidade alguma de fazê-lo.

Após ver o que elas fizeram, a nossa “vontade de falar” faz com que comecemos a compartilhar cada vez mais de nossas vidas para sermos ouvidos por cada vez mais pessoas.

Para a PhD, uma solução para o problema é diminuir cada vez mais o seu círculo de contatos nesses sites, focando em pessoas próximas, abrindo exceções de tempos em tempos, para diminuir a necessidade de compartilhar tanto os seus dados na internet.

É possível burlar a segurança das loterias no Brasil?

Muito se fala, atualmente, sobre loterias, que poderiam ser fraudadas ou hackers que conseguiriam invadir o sistema que controla os jogos explorados pela Caixa Econômica Federal, aqui no Brasil.

Há muitos boatos e lendas sobre o assunto e, até agora, absolutamente nenhuma comprovação de que algo ilegal tenha acontecido.

Os sorteios da Caixa costumam acontecer em cidades diferentes. Eles são físicos – com bolinhas girando em grandes globos metálicos – e usam pessoas diferentes para cada numero.

Ou seja, se tivesse o esquema das bolinhas geladas ou com pesos diferentes, teria que envolver uma quantidade muito grande de pessoas, só valeria a pena se fosse uma premiação muito alta.

E seria um risco gigantesco! A probabilidade do esquema vazar a qualquer momento seria iminente. Para um criminoso, poderia ser muito mais fácil tentar roubar o dinheiro dentro dos sistemas da Caixa, não exatamente do sorteio.

A loteria arrecada bilhões de reais todos os anos, mas apenas 46% do valor arrecadado vai para a premiação. Os 54% restantes vão para a construção e manutenção dos presídios federais, pras escolas técnicas e para o Fies e o ProUni, fundos que financiam a educação superior no país.

Como a lei do menor esforço impera, desviar esta parte do montante arrecadado, com certeza, despertaria pouco interesse e teria uma repercussão bem menor.

A melhor maneira de encontrar um jeito fácil de saber como ganhar na mega sena ainda continua a ser aquele que estuda as estatísticas.

Para isso, já existem diversos livros, fórmulas secretas e alguns sites que explicam as minúcias das táticas empregadas. Combinações entre os números que mais costumam sair, a quantidade de dezenas por bilhete, quais os melhores sorteios, etc.

Auditores populares, do Inmetro e do Ministério da Fazenda fiscalizam todas as nove modalidades de loterias disponibilizadas no Brasil.

E todas as empresas estrangeiras sérias também utilizam auditores independentes a fim de atestaram a idoneidade de seus sorteios.

Testes no Facebook podem ser golpes para roubar dados e fazer empresas ganharem dinheiro.

Com certeza você já deve ter visto ou mesmo feito um desses testes do Facebook que te “leva para o futuro” e mostra como “será” o seu rosto daqui a 20 anos ou como seria a sua aparecia se você nascesse no sexo oposto.

Esses aplicativos geralmente pedem que os usuários façam login com a conta do Facebook e solicitam autorização para acessar os álbuns de fotos, e a partir daí usam um algoritmo para fazer mudanças no rosto, como corte de cabelo, contorno do rosto e outras características faciais.

Pode parecer uma brincadeira inocente, mas de acordo com estudos de empresas especializadas em segurança da informação, esses testes estão sendo usados por empresas que desenvolvem esses aplicativos com o objetivo de captura dados pessoais e importantes de usuários das redes sociais.

Segundo apurou a reportagem do Estadão, o aplicativo russo, chamado FaceApp, coleta muitos outros dados além da foto do perfil: entre eles estão o e-mail, lista de amigos e outras fotos. Além disso, as informações sobre os sites de internet que você visita também são coletadas e analisadas pela empresa.

A política de privacidade do FaceApp, porém, não detalha de que forma esses dados são usados pela empresa e com quais outras empresas são compartilhados.

“Podemos compartilhar suas informações com empresas do mesmo grupo do FaceApp e também com empresas que nos ajudam a prestar o serviço, além de parceiros de publicidade”, afirma a FaceApp, em sua política de privacidade, sem especificar o nome das empresas com quem os dados são compartilhados.

Para Eduardo Magrani, coordenador do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS-Rio), o problema é que os usuários brasileiros não têm o hábito de ler os termos de uso antes de autorizar a captação de seus dados.

“Muitos acham que essas empresas coletam apenas os dados como e-mail, mas por trás disso eles têm acessos a muito mais informações que são vendidas ou compartilhadas para outras empresas”, diz.


 Já fez alguns desses testes? Agora o que fazer?

Quem já participou da brincadeira e se arrependeu é possível excluir todas as permissões concedidas ao aplicativo pelas “Configurações de aplicativos” do Facebook. Mas isso não garante que a empresa já tenha armazenado suas informações em um bando de dados.

“A dificuldade é que o Brasil não tem uma lei de proteção de dados e isso nos dá pouca segurança em relação a proteção da nossa própria privacidade na internet.

Se tal legislação existisse, inibiria empresas com o único desejo de captar dados pessoais dos usuários”, diz Magrani ao afirmar que mesmo estando fora do Brasil a empresa pode ser processada no País por oferecer serviços aos brasileiros.


Outros aplicativos de teste:

Não é a primeira vez que um aplicativo semelhante circula na rede social. No ano passado, uma outra versão virou febre depois de permitir aos usuários testarem como seria sua aparência quando criança ou sorrindo.

O aumento da frequência desse tipo de jogos cria um alerta para proteção de dados pessoais. “As pessoas precisam ter consciência que a maioria desses jogos serve, principalmente, para coletar dados muito valiosos.

Em paralelo, é preciso pressionar para que essas companhias deixem seus termos de uso e privacidade mais simples e informativos. Assim, o usuário poderia controlar seus próprios dados e excluí-los se assim quiser”, diz Magrani.


Como as Empresas ganham dinheiro com Testes no Facebook:

Informações como essas são valiosas para empresas direcionarem melhor seus anúncios e obterem mais resultados. Há algumas, inclusive, que vivem de vender dados para outras.

Testes como esses que viralizam no Facebook, em geral, têm a ver com alguma ação desse tipo por parte dessas empresas – uma forma de engajar os usuários e, ao mesmo tempo, conseguir acesso a dados pessoais, que autorizam isso muitas vezes sem ler os chamados “termos de uso”.

Reunindo mais de 2 bilhões de usuários ao redor do mundo, o Facebook possibilita às empresas fazerem anúncios na plataforma oferecendo a elas um público mais segmentado e a um custo relativamente baixo, conforme explica a especialista Camila Porto.

“O Facebook te dá a possibilidade de falar com o mundo todo ou então com um público bem segmentado, como por exemplo ‘mulheres de 25 a 35 anos que estão a um quilômetro do seu estabelecimento’.”

Por meio desses dados “preciosos” sobre os usuários, o Facebook tem atraído cada vez mais empresas que patrocinam conteúdos na rede social. Segundo dados oficiais de abril do ano passado, a plataforma já soma 5 milhões de anunciantes publicitários.


O que diz o Facebook:

Em nota, o Facebook disse que existem regras para os aplicativos serem usados na plataforma, entre elas normas sobre o uso de dados dos usuários.

O Facebook, afirma ainda que tudo o que faz é “para as pessoas” e que deixa claro e público todos os dados que usa. Para uma empresa veicular um anúncio na plataforma, ele precisa ser “bom para as pessoas, proporcionar boas experiências e tem que ser seguro”.

A privacidade das pessoas no Facebook é nossa prioridade. Qualquer aplicativo compatível com o Facebook precisa seguir nossas políticas da plataforma, que estabelecem uma série de regras para garantir que as pessoas tenham controle da experiência”, afirmou um porta-voz do Facebook em nota.

Fonte:  Estadão e BBC Brasil

Isenção de pagamento do IPVA é novo golpe de campanha maliciosa no WhatsApp.

Mais uma nova campanha maliciosa disseminada pelo WhatsApp está sendo propagada. Desta vez, promete isenção do pagamento do IPVA, em um suposto projeto social do governo federal.

Para se disseminar a campanha, além de utilizar o imposto sobre veículos automotores – pago no início do ano – como mote, eles também têm usado engenharia social e notificações dos navegadores e sites, visando enganar o maior número possível de usuários.

Mensagem maliciosa disseminada pelo WhatsApp

A campanha também tem se valido de notificações emitidas pelos navegadores, especialmente o Google Chrome – navegador mais popular no Brasil. O recurso existe tanto nas versões desktop quanto mobile.

   Mensagem maliciosa disseminada no navegador

Ao clicar nos links, as vítimas serão direcionadas para o site da campanha, que solicita que a mensagem seja compartilhada até completar a barrinha, conforme imagem abaixo:

A campanha segue as mesmas táticas de outras disseminadas na plataforma e identificadas nesse começo de ano pela Kaspersky Lab: o uso de temas populares e comuns aos usuários – o que sempre acarreta em um maior número de vítimas.

O primeiro mês de 2018 já registrou mais de 2 milhões e meio de vítimas desses ataques, somente no Brasil, e a tendência é que essas campanhas não parem ao longo do ano.

Como esse será um ano de eleições e contará com um dos maiores eventos mundiais esportivos, podemos esperar que muitos outros golpes circulando pelo WhatsApp no país, dada sua grande popularidade e facilidade de monetização por parte dos cibercriminosos”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab no Brasil.


Para continuar evitando que os usuários caiam em golpes deste tipo, a Kaspersky Lab levantou as seguintes dicas:

• Desconfie de links recebidos:

Mesmo que a conversa não seja com um desconhecido, é preciso duvidar da veracidade da mensagem, ainda mais se inclui uma promoção; procure sempre confirmar no site oficial da empresa qualquer informação

• Cuidado com o mouse (ou o touch): 

Nunca clique em links de e-mails suspeitos, banners em sites ou acesse sites desconhecidos. Quando você tiver que visitar um banco online ou uma loja de varejo, digite manualmente o URL em vez de clicar em um link.

• Tenha uma solução de segurança robusta no seu celular e outros dispositivos:

Usar um software, como o Kaspersky Internet Security, que irá bloquear o acesso aos sites maliciosos, scripts que tentam alterar seu roteador e assim você terá uma navegação mais tranquila.

• Notificações: 

Não autoriza as notificações em qualquer website, mesmo que a pergunta não seja relacionada a isso. Revise sempre as configurações avançadas no seu navegador, seja no desktop ou smartphone e remova os sites desconhecidos que estão autorizados a emitir notificações.

Os links maliciosos dessas campanhas são todos bloqueados em todas as soluções da Kaspersky Lab, inclusive no Kaspersky Internet Security para Android.

Investigação sobre o Rastreador de Compras da Google

Este artigo foi criado pela equipe Bitdefender para uso exclusivo do InfoTec Blog

Talvez nem todos os consumidores saibam, mas a maioria das transações e compras realizadas na internet são rastreadas e analisadas por mecanismos de busca.

Isso gera um certo desconforto por parte dos usuários, que acreditam ter seus dados roubados pelas empresas que realizam essas pesquisas – como é o recente caso da Google.

A gigante em pesquisas na web está sendo investigada pelo FTC (Federal Trade Commission), órgão dos Estados Unidos que defende os direitos do consumidor.

Tudo começou com a ferramenta “Store Sales Measurement” – que funciona para medir a receita gerada pela loja, ao invés de fornecer apenas a quantidade de visitas recebidas através do servidor de buscas ou pelos anúncios divulgados pela marca.

Aparentemente, a ferramenta consegue rastrear 70% das transações realizadas nos Estados Unidos, estabelecendo uma conexão entre as atividades on-line dos usuários e suas compras off-line. Apesar disso, a Google se recusa a revelar os métodos utilizados para adquirir essas informações.

Segundo James Libor, gerente de Marketing e Tecnologia da Virgin Holidays, as informações adquiridas são importantes para as empresas. Elas permitem calcular com precisão qual o impacto do investimento digital nos resultados da loja, especialmente através de dispositivos móveis.

Graças à ferramenta, a Google já conseguiu reunir dados de bilhões de transações. E uma das principais preocupações do FTC é que essas informações inseridas nos processos de compra são pessoais, incluindo dados de cartão de crédito e endereços.

A gigante das buscas afirma que a privacidade dos usuários não é invadida, mas continua se recusando a fornecer maiores detalhes sobre a ferramenta, além de impedir investigações mais aprofundadas.

A empresa ainda garante que os usuários podem desabilitar essa função a qualquer momento, basta ir nas configurações da sua conta e pausar a opção “Web and App Activity”.

Apesar das reclamações, a Google se posiciona dizendo que investiu em segurança, priorizando a privacidade dos usuários, antes mesmo de lançar a ferramenta. E completa assegurando que os dados são criptografados e mesclados, alegando não entrar em contato e muito menos compartilhar as informações sobre cartões de crédito.

Na dúvida, a melhor solução para evitar que seus dados sejam roubados é comprar um antivírus para proteger seu dispositivo e suas informações. É sempre válido lembrar: evite navegar em sites suspeitos e desconhecidos e, se possível, desabilite a função da Google em sua máquina.

E você, o que acha sobre a nova ferramenta da Google? Deixe seu comentário!

Dicas para manter seu site protegido contra ataques cibernéticos

A internet é o meio de comunicação mais utilizado no mundo atualmente, além de ser o maior difusor de informação. Nela, é possível adquirir conhecimento sobre qualquer assunto, além de o próprio internauta ser o próprio difusor de informação.

Existem milhares de blogs pela web sobre os mais variados assuntos. Sejam eles pequenos blogs ou grandes sites, os dois têm uma coisa em comum: A possibilidade de sofrer um ataque cibernético.

O ataque de hackers infelizmente é muito comum, e este tipo de crime já conseguiu invadir grandes sites.


O que acontece quando invadem um site?

Bom, isso varia de acordo com cada hacker. Há aqueles que simplesmente invadem para mostrar que são capazes de acessar as informações de portais poderosos, pura diversão. Mas nem todos os invasores cometem este ataque por brincadeira.

Alguns vazam dados pessoais dos usuários da plataforma/serviço. Também há os hackers que simplesmente tiram fora do ar o site por um pequeno período de tempo.

Ficou assustado (a)? Não se desespere. De acordo com o detetive particular, profissional especializado em ataques cibernéticos, existem algumas práticas que devem ser tomadas por proprietários de blogs e sites para não se tornarem vítimas de golpes cibernéticos.


O que fazer para evitar a invasão?

Faça uso de uma senha forte, que contenha letras, números, pontuações e símbolos. As senhas devem ter um significado aleatório, nunca devem ser datas ou alguma palavra muito óbvia;

Não use a mesma senha para serviços distintos. Isso significa que você não deve fazer uso da mesma senha, seja em contas de perfis e blogs pessoais, quanto em outras plataformas. Use senhas diferentes para cada local, lembrando que elas devem seguir a recomendação acima;

Esteja sempre de olho nos locais onde você está informando sua documentação pessoal, como CPF, RG e cartão de crédito; dentre outros dados pessoais que podem levar aos dados do seu site. O quanto menos você informar seus dados web afora, mais seguro você estará (mesmo que estes sites não sejam malignos, eles também estão sujeitos a ataques).


Meu site foi invadido. E agora?

Se seu site sofreu ataque cibernético e todo o conteúdo dele foi perdido, uma das recomendações é fazer a restauração dos dados. É claro que, isso só irá funcionar se você realizou o backup das informações antes do ataque.

Facebook impõe “Timeline” a todos os usuários.

Se você está entre as pessoas que decidiram não aderir à Timeline do Facebook pode começar a se acostumar com ela.

Nesta semana a rede social anunciou que não há mais escolha, todos os perfis de usurários serão em breve transformado em Timeline ( Linha do Tempo ), a medida já era esperada, e o atual formato das paginas de perfil deixarão de ser usados.

A Timeline, permite que o usuário destaque uma foto no topo da pagina e divida postagens de acordo com a data da publicação em uma linha cronológica. A ideia é organizar melhor os momentos mais importantes da vida, como nascimento, namoro ou casamento.

Quando o perfil do usuário mudar para a Timeline, ele terá sete dias para testar a nova forma de publicar conteúdo no Facebook. Isso dá a você a chance de acrescentar ou esconder o que você quiser, antes que alguém veja sua Timeline, explica o site em comunicado. Com o novo layout, mensagens antigas são vistas com mais facilidade.

Quem quiser ir se acostumando já pode obter a Timeline em facebook.com/timeline. Basta clicar em “Obter Timeline”.

A medida de imposição porém vem sendo intensamente criticada por não permite que o usuário escolha se quer ou não aderir o novo formato.

Você gostou? Então deixe um comentário!

Como seguir apenas quem te segue no Twitter.

Com o estouro das redes sociais, as pessoas tendem a se relacionar mais com as outras, criando assim vínculos por meio da internet.

Mas muitas dessas pessoas acabam aderindo esse meio de relacionamento por pura obrigação ou porque todos os seu amigos tem um perfil em tal rede social. E por vez acabam adicionando pessoas que nem conhecem.

Há inúmeras pessoas que você segue no twitter só por obrigação ou educação. Outras que você nem sabe porque está seguindo.

Se for do seu interesse, você pode rastrear as pessoas que está seguindo, mais que não são seus seguidores e eliminar o vinculo com elas, assim diminui a quantidade de tuítes que você recebe diariamente deixando seu mini blog mais organizado. Essa tarefa é muito simples.

Acesse o site http://manageflitter.com/ e clique no botão Start. Na próxima etapa clique em Conect to Twitter e informe seu nome de usuário e senha e confirme para entrar.

Em poucos instantes, dependendo da quantidade de seguidores que possui, uma lista daqueles que não te segue será exibida.

Para cada nome, uma série de ícones lhe mostrará como a pessoa ou empresa que você segue está atuando no Twitter. Você terá uma indicação de suas atividades, se está tuitando muito ou pouco ou se é muito popular por exemplo.

Para deixar de seguir alguém basta marcar a caixa de seleção do lado direito da descrição do usuário. Após marcar aqueles que não seguirá mais é só clicar no botão ou link “Unfollow x Selected ao lado direito da janela. Pronto você estará livre do “intruso”.

Se você gostou deixe um cometário!

Bradesco lança aplicativo que permite acesso a conta bancária pelo Facebook.

O Bradesco anunciou nesta terça-feira ( 06/03 ) que os seus clientes poderão contar com a rede social para visualizar suas informações bancárias com total segurança, com isso se tornou o primeiro banco brasileiro a lançar um serviço como esse na rede social mais acessada do mundo, e uma das primeiras instituições financeira mundialmente falando a contar com essa ferramenta

Um aplicativo chamado de F. Banking Bradesco, vai permitir ao usuário checar vários dados relacionados a sua conta como saldo, investimentos e limite de credito.

Segundo Luca Cavalcanti, diretor dos canais digitais do Bradesco o cliente  deve ficar tranquilo com relação a segurança, uma vez que as consultas feitas são realizadas em ambiente seguro, através do mesmo sistema utilizado no Internet Banking hospedados nos servidores do banco. Dessa forma o Facebook não terá acesso a nenhuma informação inserida pelo cliente.


Como Funciona?

1- Primeiro acesse o fanpage do Bradesco (Facebook.com / Bradesco), aprove o aplicativo F. Banking, e preencha os seus dados com número de  agência e conta.

2– Na pagina seguinte insira sua senha de 4 dígitos, é a mesma do Internet Banking e o código de aceso gerado pela chave de segurança que for solicitado no momento.

3– No primeiro acesso ao aplicativo você deverá aceitar os termos de uso, e na sequencia já terá acesso a informações de sua conta corrente.

4– Para cancelar sessão basta clicar em cancelar acesso, no canto superior direito da pagina.

5– Para os próximos acessos, o aplicativo poderá ser acessado diretamente do menu esquerdo da página inicial do perfil do cliente no Facebook.

Se você gostou deixe um comentário!

Cuidados com a segurança nas Redes Sociais.

Com a popularização e a abrangência das redes sociais, tudo ficou mais fácil, e mais perigoso. As principais redes sociais existentes hoje possuem configurações avançadas de segurança, justamente para impedir acesso de pessoas não autorizadas.

Muitos usuários desconhecem ou simplesmente acham desnecessário investir um pouco mais do seu tempo para configurar suas credenciais de segurança no mundo virtual.

Diante disso ocorre fatos que muitas vezes podem parecer inofensivos, mais que na verdade podem causar sérios transtornos.

Como por exemplo o acesso de uma pessoa não autorizada ao seu perfil das redes sociais, essa pessoa pode comentar de forma maldosa as fotos dos seus amigos ou mesmo fazer publicações difamatórias se passando por você e podendo causar um mal-estar ou até interromper uma amizade.

Os especialistas recomendam trocar de senha pelo menos a cada 30 dias e usar no minimo 14 caracteres, alternando entre letras, números e carácteres especiais.

Ainda existe inúmeros recursos para completar a senha, como cadastro de aparelhos celulares, envios de códigos por sms, pergunta de segurança, cadastro de um e-mail alternativo, registro do dispositivos que você costuma acessa as rede sociais entre outros.

Quando um internauta se cadastra num site, ele é obrigado a fornecer algumas informações confidenciais para poder ter acesso aos serviços do site.

Esses dados devem ser mantidos em sigilo e protegidos pelo mesmo. No Facebook por exemplo os usuários muitas vezes curtem e publicam páginas sem saber, pois no momento que você instala uma aplicação no site é fornecido as informações de acesso automaticamente e por meio delas o próprio site se encarrega do resto, curtindo e publicando quantas outras páginas achar necessário.

Esse mecanismo é usado para fazer “girar a venda de publicidade pelo site e obter popularidades das páginas que foram curtidas.

A recomendação é sempre criar senhas difíceis e longas, e quando for utilizar um computador num local público, observar se a caixinha “lembrar senha” não está marcada, se tiver, desmarque.

Isso evita que outra pessoa possa entrar na sua conta em seguida, nunca repasse suas senhas a terceiros, nem amigos ou namoradas, as vezes por descuido essas informações podem parar nas mãos de pessoas não autorizadas e mal intencionada.

Cuidado com os links recebidos de amigos, essas publicações que aparecem no seu status, devem requerer tanta a atenção, quanto as que você recebe no seu e-mail.

Seja seletivo na hora que aceitar pedidos de amizades, os criminosos virtuais tentem a criar perfis falsos a fim de obter informações confidenciais, então a regra é, se você não conhece ou nunca viu antes, não aceite.

Se o site que estiver usando pedir que você forneça uma pergunta de segurança, que geralmente serve para lembrar a senha, tome cuidado, se o site permitir escolha uma outra que não esteja disponível na lista, pós perguntas como dia do aniversário, data do casamento, nome dos filhos, cidade onde nasceu, cor favorita, as vezes são facilmente encontradas no próprio perfil do usuário.

Tome cuidado e não dê “colher de chá” aos criminosos!

Se você gostou deixe um comentário!

Como encontrar e eliminar um vírus que consome recursos do seu PC.

Os vírus também são uma ameaça para o desempenho dos sistemas. A baixa velocidade em um PC pode ser um sinal de infecção.

TuneUp sempre se preocupa em compartilhar seu conhecimento para melhorar o desempenho do PC, no entanto, até agora nunca havia abordado sobre estas importantes ameaças para a velocidade do PC: os vírus, trojans, worms, rootkits.

Todo mundo sabe que são um risco para segurança dos sistemas, e muitos deles têm um efeito grave para o desempenho do PC. Neste artigo, TuneUp ensina que tipo de impacto podem ter os vírus em um PC, laptop ou tablet, e como qualquer usuário pode ser capaz de relacionar um desempenho lento com uma infecção.

Por exemplo, se de repente um sistema começa a funcionar mais lento do que o normal, pode ser que a causa não esteja relacionada a uma configuração errada do sistema ou a aplicativos de outros fabricantes e sim devido a uma infecção de um vírus.

Há algumas semanas, TuneUp investigava sobre como os hackers pirateiam TuneUp Utilities e o que é dito sobre o produto (geralmente as críticas são muito positivas, e a maioria dos usuários adora o produto e paga por suas licenças).

O que TuneUp queria descobrir ao procurar por cópias ilegais do programa era como o produto é pirateado; pela geração de chaves ou alteração dos arquivos.

TuneUp extraiu cada um desses arquivos em uma máquina com Windows 8 e sem conexão à internet. E dois dias mais tarde, ao inicializar o sistema, os ventiladores giravam em máxima potência, algo mantinha o PC ocupado e deixava tudo mais lento.

Windows mostrava um carregamento de 100% e restavam apenas 59 minutos de bateria. Ao verificar o Gerenciador de Tarefas e organizar a lista de processos pelo uso da CPU, foi possível visualizar um “pequeno” intruso devorando o desempenho da CPU.

Clicando com o botão direito do mouse no intruso chamado “rss.exe” foi possível abrir o “diretório do arquivo”, uma vez ali, TuneUp identificou a origem do intruso em um arquivo Flash da Adobe, e se perguntou, Por quê um Flash precisa de um leitor de rss?

Uma rápida pesquisa online revelou que o intruso era efetivamente um vírus e imediatamente TuneUp finalizou o processo e eliminou todos os arquivos da mesma pasta.

Para não correr nenhum risco, foi feito o download do AVG internet Security 2013 e logo uma análise completa do sistema e não foi encontrada nenhuma infecção.

Baixar um vírus por meio de downloads ilegais não é algo difícil já que estes estão por todas partes. E os usuários arriscam a segurança dos seus PCs cada vez que instalam cegamente estes arquivos, especialmente no caso de que seus antivírus não estejam corretamente atualizados.

TuneUp fez diferentes testes em seus laboratórios para oferecer uma impressão de como um vírus pode afetar um sistema rapidamente. Comprovou tarefas simples como converter um arquivo MP3 para um formato AAC utilizando o iTunes, mediu a inicialização de um potente programa para edição de imagem, a duração da bateria e a temperatura do sistema.

Todos os testes foram realizados ao menos 3 vezes, cada um em um sistema com infecção e sem infecção. Os resultados foram surpreendentes, demonstrando que o sistema infectado precisa entre 2 a 7 vezes mais tempo para executar qualquer tarefa, a vida útil da bateria é reduzida para menos de metade do que o habitual e a temperatura se mantém um 50% acima do habitual e recomendado.

Os vírus não se limitam a serem pop-ups irritantes ou a provocar falhas no PC. Alguns deles apenas se instalam no sistema, completamente em silêncio e o tornam mais lento. Se o seu antivírus não está totalmente atualizado e o computador está lento, os usuários não devem concluir que precisam de um computador novo.

Se você gostou deixe um comentário!