Aplicativos Segurança

Como garantir sua segurança usando aplicativos no celular?

Hoje em dia é possível ter toda a facilidade e comodidade de acesso à Internet na palma da sua mão. Você pode pedir comida, chamar um táxi, ouvir música, assistir vídeos, acessar as redes sociais e até conseguir um encontro em um app de relacionamento. Tudo isso em um só lugar: seu celular.

E justamente por estar constantemente usando o smartphone, é
muito importante tomar cuidado com a sua
segurança
em relação aos aplicativos baixados, para que não ocorra a
instalação de vírus ou invasão aos seus dados pessoais.

Pensando nisso, preparamos algumas dicas de como manter seu celular seguro para usar seus aplicativos
sem preocupação. Vamos lá?


Instale um Antivírus


Antes de tudo, saiba que é muito bom, e importante, ter um
antivírus instalado em seu celular. Muitas pessoas acreditam que antivírus para
celular não funciona, mas muitas vezes são eles que protegem seus dados e contas de malwares
que podem prejudicar o desempenho do seu aparelho.

Os antivírus para
celular
costumam proteger senhas, analisar arquivos a ser baixado, informar
erros de aplicativos, impedir que itens prejudiciais se instalem em seu
aparelho eletrônico e reforçar a
segurança nos seus aplicativos
de redes sociais.


Tenha Senhas Fortes


segurança usando aplicativos no celular

A dica principal é: não usar a mesma senha para todas as contas. Caso seu smartphone seja invadido por vírus ou malwares, é muito fácil descobrir a senha dos seus aplicativos.

Além disso, caso alguém descubra sua senha, essa pessoa terá acesso a todas as suas informações de
maneira fácil, podendo prejudicar até sua vida pessoal.

Vale considerar, também, instalar um aplicativo que permite a
programação de senha em outros apps, como o WhatsApp, Instagram e Facebook,
para que o acesso a eles seja ainda mais
difícil
.


Salve seus Arquivos na Nuvem ou Drive


Se você é uma pessoa apegada às suas fotos e vídeos, saiba
que usar a nuvem ou o drive para salvar esses arquivos é de extrema importância. Assim, caso algo
aconteça com seu celular e você perca todos os dados, suas fotos e vídeos
estarão salvos na internet e você poderá recuperá-los
mais tarde.

Lembre-se que a nuvem e o drive disponibilizam uma autenticação em duas etapas, que permite maior segurança à sua conta. Além disso, caso alguém tente acessar seus arquivos, você receberá uma notificação e poderá agir no mesmo instante para prevenir qualquer invasão de dados.


Baixando Aplicativos


App de relacionamento - segurança usando aplicativos no celular

Um das partes mais legais de ter um smartphone são os aplicativos para instalar, garantindo
diversão, comodidade e entretenimento. Porém, alguns desses apps podem inserir
vírus no seu aparelho e prejudicar seu desempenho.

Por isso, quando for fazer o download de algum aplicativo, seja um app de jogos ou um app de relacionamento,veja se a resposta para todas as perguntas a seguir condiz com os padrões de segurança:

  • O
    aplicativo é oficial?
  • As
    avaliações são altas?
  • Os
    comentários são positivos?

  • recomendações?
  • Comentários
    negativos estão focados em um único problema?

  • relatos de erros e reclamações de muitas propagandas?

Assim, se as respostas forem positivas e negativas nas
perguntas certas, as chances de você baixar seu aplicativo e não ser
prejudicado por malwares são altas e
você poderá desfrutar dos recursos instalados sem preocupação.


Este artigo foi criado pela equipe BMatch para uso exclusivo do Infotec Blog.

Imagens: Pexels (Picjumbo.com); Unsplash (Neonbrand); Unsplash (William Hook).

DriveSpan elimina arquivos duplicados e libera espaço em celular, PC ou Mac.

Uma das principais características da sociedade digital do século 21 é a enorme quantidade de dispositivos para armazenar documentos e arquivos multimídia.

No trabalho ou na vida pessoal, lidamos diariamente com centenas de fotos, documentos, vídeos, músicas e arquivos no PC, no celular, no tablet – o que, por vezes, acaba saturando as unidades de armazenamento e impedindo a rápida busca e uso apropriado dos conteúdos.  

Para ajudar nessa questão, a companhia alemã Nero AG lançou um APP gratuito e fácil de usar, o DriveSpan.

Em combinação com a suíte Nero 2019 (versão Platinum ou Standard) instalada no computador, o aplicativo mescla e consolida os arquivos de mídia e dados do celular, do PC e em discos rígidos externos, eliminando duplicidades e liberando memória nos dispositivos.

>> Confira o passo a passo.

Ao instalar o ‘DriveSpan’ no iOS ou Android, ele se torna automaticamente a unidade central de controle para todas as fontes de conexão.

Para adicionar o dispositivo fonte, pressione o botão Adicionar/Add`. Uma tela mostrará no celular todas as fontes e devices externos conectados na redes Wi-Fi disponíveis para consolidação, inclusive na nuvem.

O PC ou Mac deve estar conectado à mesma rede de internet que o ‘DriveSpan’, e será necessário também ter o aplicativo ‘WIFI + Transfer’ instalado (esse app está disponível para usuários do Nero 2019, mas é possível baixar o WIFI + Transfer gratuitamente no site www.drivespan.net e na App Store.

Com a ferramenta, o computador estará disponível no DriveSpan e o mobile poderá se conectar com o PC ou o Mac.

Caso a permissão de conexão não tenha sido configurada anteriormente, o aplicativo enviará um código de acesso ao computador para ser inserido no APP.

A partir daí, todas as unidades internas e externas conectadas poderão ser configuradas como fonte ou destino. O DriveSpan permite ainda a verificação do espaço armazenado em cada um dos dispositivos da lista. 

Para escolher o destino do conteúdo, seja no computador (por exemplo, em ‘D:’), em um disco rígido externo ou em um serviço de nuvem, é só clicar em `Destino/Target`. 

Após a seleção, clique no botão `Consolidar Agora`. O DriveSpan fará a cópia dos arquivos entre dispositivos, identificando duplicidades tanto na fonte como no destino e assegurando a liberação de espaço.

Como eliminar arquivos duplicados.

No final do processo, o aplicativo mostrará na tela `Resumo/Summary`os principais detalhes do que foi feito, como quantas fontes foram copiadas para o destino, tamanho do arquivo após a consolidação, tamanho dos arquivos em duplicidade que não foram copiados, tamanho do arquivo de consolidação de limpeza e duração da operação.

Vale lembrar que usuários do Nero 2019 Platinum ou Standard têm a versão completa do DriveSpan, com todos os recursos ativados.

A versão gratuita do app disponível na App Store é limitada e oferece apenas a consolidação do celular para a nuvem – ou simplesmente dentro da nuvem.

Usuários que desejam incluir o PC ou o Mac na consolidação podem adquirir o recurso no aplicativo. Para mais informações, visite http://www.nero.com/ptb.

Phishing e Ransomware: como livrar sua empresa.

Essas duas ameaças andam juntas e podem trazer sérios prejuízos à sua empresa. Por isso, saber como evitá-las é fundamental.


Phishing e ransomware. Você provavelmente já ouviu falar sobre isso em algum momento da sua vida, mas pode não saber a fundo do que se trata. Isso pode ser mais perigoso do que parece.

Esses dois termos estão relacionados a ameaças através da internet, que podem ser muito prejudiciais às empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte e de qualquer lugar do mundo.

Por isso, é muito importante que você entenda exatamente do que se tratam essas ameaças e, ainda mais importante, como evitá-las. Assim, o mundo virtual não será um perigo para a sua empresa e tudo correrá com total segurança.


» O que é Phishing e Ransomware?

A primeira coisa a se entender é a definição desses dois termos, que por si só já ajudam bastante a entender do que eles se tratam.

O primeiro, phishing, deriva do verbo fishing, que significa pescar, e seu funcionamento é exatamente assim: é lançada uma isca, com o objetivo de pegar o peixe, que no caso, seria o usuário da internet.

Então, quando um e-mail conta com um link ou um anexo falso, que tem como objetivo coletar informações sensíveis sobre uma pessoa ou uma empresa, então isso é chamado de phishing.

O ramsomware, por sua vez, apresenta uma definição diferente: a junção de ramsom (resgate) e software (programa). Resumidamente, o ransomware é um código que bloqueia ou restringe o acesso do computador do usuário ao sistema da empresa é só o libera mediante o pagamento de um resgate.

Portanto, pode-se dizer que o ramsomware é um sequestro remoto, e que a liberação da vítima (no caso, o computador) somente acontecerá com o pagamento de um valor específico. Então, os criminosos virtuais liberam um código para desbloquear o acesso.

Pode ser que você não tenha percebido à primeira vista, mas a conexão entre o phishing e o ramsomware é muito próxima, e ambos podem prejudicar tanto uma empresa a ponto de levá-la à falência, sem exageros.


» Como o Phishing e o Ramsomware podem agir juntos?

Imagine uma situação hipotética: o colaborador de uma empresa recebe um e-mail, supostamente de um superior, que pede para que ele baixe um arquivo e complete uma planilha com um dado que ele não tem acesso no momento.

Então, o colaborador baixa o arquivo, executa-o e, mesmo sem perceber, pode ter sido a ponte para a instalação de um ramsomware, que a qualquer momento pode invadir o sistema da empresa e bloquear os computadores.

O fato de o phishing ser tão importante assim para a instalação de um ramsomware é simples: o elo mais fraco na segurança das empresas são as pessoas, invariavelmente.

Isso não quer dizer que não se deva confiar nos funcionários, é claro, mas sim que as pessoas são muito mais propensas a efetuar uma ação sem que se dêem conta do que realmente é e abram as portas para um arquivo malicioso do que os próprios sistemas de segurança.

Porém, a detecção de um phishing é complicada, já que esses são ataques de caso pensado. Muitas vezes, os e-mails podem vir com assinatura, fonte e até mesmo forma de escrita idêntica à que é utilizada na empresa, o que praticamente não levanta dúvidas.

Tanto isso é verdade que nem mesmo os filtros de spam e de segurança que são utilizados pelos servidores de e-mail conseguem detectar esses e-mails com 100% de eficácia, e são justamente esses que passam ilesos que podem colocar a segurança da empresa em risco.


» Estatísticas sobre os Ramsomwares

Eles são considerados como um dos principais problemas de segurança na internet atualmente. Um estudo da Barkly levantou as estatísticas sobre os ramsomwares em 2017, e os dados realmente assustam. Confira:

  • Empresas são atacadas por ramsomwares a cada 40 segundos;
  • De cada 10 malwares enviados no primeiro quadrimestre de 2017 (Q1), 6 eram ramsomwares;
  • Havia 4,3x mais variantes de ramsomwares no Q1 de 2017 do que no Q1 de 2016;
  • Pelo menos 15% das empresas nos 10 setores mais importantes da indústria já foram atacadas;
  • 1 a cada 4 empresas atacadas por ramsomwares possuem 1.000 funcionários ou mais;
  • 71% das empresas afetadas por ramsomwares foram infectadas;
  • Quase metade dos ataques atingem pelo menos 20 funcionários;
  • O resgate médio para cada ataque subiu para US$ 1.077 em 2016, mais do que o triplo do valor médio de 2015, que era de US$ 294;
  • 1 a cada 5 empresas que pagam o resgate não conseguem recuperar seus arquivos.

Esses dados ajudam a ter uma visão mais ampla a respeito do assunto e deixam bem claro que não é brincadeira. Além disso, mesmo com o pagamento do resgate, algumas empresas não conseguem recuperar o que perderam, ou seja, é melhor prevenir do que remediar.


» Como prevenir esse problema?

A forma mais eficiente de evitar sofrer com phishing e ramsomwares é a instrução. Por isso, todas as empresas devem investir pesado em treinamentos para seus funcionários, de modo que eles entendam muito bem sobre o assunto.

Essas orientações não devem ser aplicadas apenas para o ambiente de trabalho e o computador do trabalho em si, mas também para as informações divulgadas pelos colaboradores, por mais irrelevantes que possam parecer.

Por exemplo, se um colaborador postar em uma de suas redes sociais que esteve em uma festa da empresa e no dia seguinte receber um e-mail de um suposto superior, dizendo que também estava naquela festa e tem algum tipo de proposta, dificilmente parecerá mentira, mas pode ser.

Por isso, cuidados pessoais, como não veicular informações sobre o trabalho nas redes sociais pessoais ou manter os perfis privados, também podem ajudar muito a evitar esse problema.

Além disso, sempre que algum e-mail, mensagem ou link estranho for recebido, o melhor a se fazer é chamar a equipe de TI para verificar do que se trata, ou então entrar em contato com o suposto remetente para saber se é verdade ou não.

Realmente, são muitas as chances de que uma empresa seja afetada por phishing e ramsomwares, e a tendência é que isso cresça cada vez mais. Porém, ao contar com  uma empresa de telecom confiável e seguir um protocolo bem definido de instruções de segurança, os riscos podem ser cortados pela raiz.

9 hábitos online que devem ser corrigidos imediatamente.

O ano está apenas começando e, com isso, muitas pessoas desejam abandonar maus hábitos que afetam diferentes aspectos de suas vidas.

Agora que estamos cada vez mais imersos na vida digital, também é importante corrigir alguns hábitos que colocam em risco a integridade dos nossos dados e a nossa segurança.

De acordo com um estudo da Kaspersky Lab, quase metade dos usuários da internet tiveram a terrível experiência de perder os dados por meio de seus diferentes dispositivos: 47% de seu smartphone, 52% de seus computadores e 20% de um tablet.

Todos os usuários de internet têm sua própria rotina online, desde revisar as notificações em suas redes sociais, até verificar seus e-mails em qualquer momento e local. Essas ações normais devem ser pensadas duas vezes, porque se elas não forem feitas de maneira correta, podem colocar em risco a segurança online dos usuários.

Dentro dessa rotina, existem 9 hábitos que a maioria dos usuários faz automaticamente e que talvez eles não pensem que poderiam representar qualquer risco. A Kaspersky Lab convida você a repensar quais desses hábitos você tem:

1. Baixar qualquer aplicativo.

Se você é alguém que está antenado sobre o mais recente app de música ou de exercícios e corre para baixar, pressionando o botão “Aceito” sem realmente saber o que está aceitando, tome cuidado!

Muitos aplicativos pedem muitas permissões para os dispositivos, incluindo algo sério que possa prejudicá-lo. Além disso, estima-se que pelo menos 30% dos aplicativos que você baixa para o seu celular nunca serão usados, então, por que baixá-los?


2. Ignorar as atualizações.

Você sabia que 99% dos computadores Windows estão propensos a serem hackeados por vulnerabilidades com apenas oito aplicativos? Incluindo os navegadores mais populares, players de mídia e plugins Flash que certamente todos nós usamos.

Todos estes são monitorados muito de perto pelos cibercriminosos, uma vez que suas vulnerabilidades podem ser usadas para atacar o máximo de usuários possível. Então, certifique-se de instalar todas as atualizações para tornar seu sistema ainda mais seguro.


3. Levantar do seu computador sem bloqueá-lo.

A maioria das pessoas sentadas na frente de um monitor considera irritante e lento bloquear e desbloquear o computador toda vez em que levantam de suas mesas.

De acordo com um estudo da Kaspersky Lab, 52% destes usuários experimentaram perda de dados de seus computadores por não terem o bloqueado e/ou colocado uma senha segura de desbloqueio. Evite fazer parte desta estatística.


4. Registrar-se em sites usando o mesmo nome de usuário de redes sociais.

“Faça login com sua conta do Facebook” é uma das formas mais comuns de se registrar em sites diferentes. O problema é que, quando você efetua login, o site obtém acesso parcial aos dados em sua conta e, mesmo que seja apenas para informações públicas, são dados que já estão nas mãos de outras pessoas.

5. Fazer muitas coisas ao mesmo tempo.

Ser uma pessoa multitarefa nem sempre é uma coisa boa. Pesquisas recentes revelam que, além de afetar a concentração e a produtividade, fazer várias tarefas ao mesmo tempo também afeta a segurança dos usuários, uma vez que, com tantas distrações na tela, os usuários tendem a prestar menos atenção ao que abrem e acabam clicando e fazendo download de arquivos que não sabem a procedência em sites maliciosos.

Então, é melhor tentar fechar as infinitas abas no seu navegador e concentrar-se no que você realmente deveria. Seja o que for, você irá fazê-lo mais rápido, melhor e mais seguro.


6. Ser muito curioso.

Com certeza você já clicou em um link apenas por considerá-lo interessante, não é mesmo? Se a curiosidade insistir com frequência, provavelmente é hora de mudar seu comportamento. Tente, especificamente, evitar sites com títulos chamativos, que são os que geralmente são maliciosos.


7. Aceitar os termos e condições de serviços sem realmente prestar atenção.

Quantos termos e condições você já leu antes de aceitar determinado serviço? Nenhum? Está na hora de mudar e prestar atenção, uma vez que os desenvolvedores geralmente se beneficiam do fato de que ninguém sabe o que está escondido neles; por exemplo, você sabia que 83 de 100 aplicativos têm acesso a suas contas, contatos, mensagens, chamadas e arquivos armazenados?

Pois é, todo esse acesso foi permitido lá no começo, quando você aceitou os termos sem ler com atenção. Por isso, demore alguns minutos lendo o que está aceitando para evitar uma dor de cabeça futura.


8. Registrar-se em todos os lugares.

De todas as contas on-line que você tem, quantas você realmente usa? Você usa a mesma senha para todos? O que aconteceria se um dos serviços, dos quais você não se lembra, sofre um vazamento de informação?

Com isso, informações valiosas, como seu e-mail, número de telefone, senha e entre outras, estarão expostas sem que você nem imagine para quem. A melhor coisa será eliminar todas as contas que você não usa.


9. Publicar em excesso tudo o que você faz.

Você sabia que tudo o que você publicou, de uma fotografia, para o seu celular, nunca mais será privado? Além disso, pessoas mal-intencionadas podem até usar essas informações que compartilham para representar sua identidade.

De acordo com a Kaspersky Lab, apenas 7% dos usuários da Internet não compartilham informações em suas redes, então pense duas vezes e não faça parte dos outros 93% que disponibilizam na internet qualquer informação.

Estas são ações que as pessoas fazem com frequência de forma automática, sem parar para pensar por um momento nas consequências – como é o caso dos mais de 50% dos usuários online que sofreram perda de informações de seus dispositivos.

Para que isso seja evitado, os usuários têm que estar mais conscientes dos riscos enfrentados e mudarem esses hábitos. Só assim conseguirão proteger da melhor maneira não somente seus dados, mas também a si mesmos“, diz Thiago Marques, analista de segurança da Kaspersky Lab. 

A Kaspersky Lab recomenda aos usuários da Internet implementar uma solução de segurança robusta como a Kaspersky Internet Security e a Internet Security para Android em seus dispositivos para que suas informações sejam sempre protegidas.

E-commerce: Os 4 erros mais comuns em transações on-line.

Indisponibilidade e lentidão estão entre os problemas que mais irritam os consumidores na compra pela internet. Saiba como solucioná-los.


Uma home-page bonita pode até atrair a atenção de visitantes, mas não é suficiente para gerar conversões. O diagnóstico é da Yaman Tecnologia (www.yaman.com.br), consultoria em qualidade de aplicações com foco em Performance e Disponibilidade, que já atendeu mais de 30 empresas de todos os portes.

Para preparar melhor o seu e-commerce, Luis Fernando Cerri, fundador da companhia, lista os quatro erros mais comuns em transações on-line e como evitá-los:


»» Indisponibilidade do site

Acontece quando a capacidade do servidor não consegue atender o volume de interessados simultâneos. “Esse tipo de erro é muito comum em compras de ingressos para shows internacionais, mas também acontece em menor escala ao realizar promoções ou ações que gerem muitas visitas, por exemplo”, afirma o especialista da Yaman.

Planejamento e testes estruturais que simulam um alto tráfego, além de medidas de gestão eficiente, são fundamentais para dimensionar a infraestrutura e evitar falhas.


»» Lentidão

Nenhuma novidade, mas muitos sites ainda não se atentaram para esse aspecto crucial da navegação on-line. Código mal escrito e estrutura mal configurada são dois dos fatores que mais contribuem para a lentidão de uma página.

“Estimamos que 40% das pessoas abandonam o site quando o tempo de resposta é maior que três segundos. É um pequeno detalhe que pode fazer toda a diferença”, comenta Cerri. Para contornar o problema, é necessário fazer uma avaliação, identificar os gargalos de configuração e as rotinas mais lentas para reescrevê-las.


»» Erros de processamento

Ao escolher um produto e ser direcionado para a página de finalização da compra, é desagradável dar de cara com um preço ou especificações diferentes. Isso geralmente ocorre quando o sistema não foi adequadamente testado.

O problema, portanto, pode ser corrigido com a inserção de um processo de testes e qualidade. “E este é só um dos milhares de exemplos contemplados nessa categoria”, pondera o fundador da consultoria.


»» Falhas de segurança

“Vazamento de dados pessoais e fraudes ainda são dores de cabeça frequentes para quem compra pela internet”, explica Cerri, que recomenda: “Esse tipo de golpe pode ser evitado com validações automatizadas das aplicações para identificar toda e qualquer vulnerabilidade ali presente”.

“Em plena Era da Transformação Digital, a sua plataforma virtual é a vitrine da empresa para o mundo. Quando ela possui bugs, está lenta ou indisponível, é a marca que está exposta. Em tempos de redes sociais, o impacto que isto pode causar na sua imagem é imensurável”, finaliza o especialista.


♦ Sobre a Yaman Tecnologia

A Yaman é uma consultoria especializada em qualidade de aplicações com foco em Performance e Disponibilidade, Testes & QA, Segurança de Aplicações e DEVOPS.

Em 2017 foram investidos cerca de R$ 3 milhões em um novo polo de qualidade de software inaugurado no 1º semestre em Alphaville (SP). Desde 2014, a empresa viu sua demanda aumentar 120% ao ano e estima um faturamento 70% maior em 2017.

Saiba como proteger seu computador usando um Pen Drive.

Você sabia que pode usar o seu Pen drive para bloquear e desbloquear seu computador? Em uma ocasião eu precisei recorrer a esse método por medida de segurança e garanto que é uma tarefa bem simples.

Primeiro o que você deve fazer é baixar e instalar este aplicativo, Predator Free Editor. Em seguida plugue o Pen drive em uma das entradas USB do seu micro, na janela de configuração do programa defina um senha  de segurança na opção New Password.

No campo Create Key on Drive, selecione a unidade do Pen drive e clique no botão Create Key, depois dê um OK para salvar as configurações.

Finalizada o operação um ícone verde aparecerá na bandeja do sistema, a cor verde indica que o sistema de monitoramento está ativo.

Perceba que depois de  alguns segundos que retirar o Pen drive a tela do PC ficará preta, o tempo exato pode ser definido nas configurações.

Lembrando que o gerenciador de tarefas do Windows ficará desativado e não permite fecha o processo por trás do Predator.

Quando se reconecta o Pen drive o computador volta a operar normalmente. O programa não apaga nenhum arquivo do seu Pen drive, ele usa apenas como dispositivo para armazenar uma chave de segurança que irá realizar o bloqueio e desbloqueio da sua máquina.

Importante – Se o Pen Drive for perdido ou danificado não será possível ter acesso ao computador, então pense bem antes de recorrer a essa solução.

Se você gostou deixe um comentário!

Ligar e desligar o notebook todos os dias pode danifica-lo?

Todos nós gostamos de trocar dicas e sugestões técnicas para obter o melhor da tecnologia que utilizamos. Mas ‘falsos conhecimentos’ podem ser transmitidos livremente como bons conselhos.

E assim como acontece com qualquer outra questão que ocasiona dúvidas, não se sabe exatamente no que se pode acreditar.

Muitas pessoas que utilizam o notebook e lidam com informática diariamente, afirmam que sempre se deve deixar seu laptop ligado, pois ligá-lo e desligá-lo todos os dias causa desgaste e torna seu sistema mais suscetível a erros de software.

Segundo pesquisas recentes e opinião de vários especialistas da área de tecnologia, todos são unanimes em afirmar que:

Ocasionalmente, desconecte seu laptop da tomada

Deixar seu laptop conectado a uma tomada o tempo inteiro pode afetar desfavoravelmente o seu desempenho.

As baterias do laptop são projetadas para serem utilizadas e devem ser descarregadas e recarregadas ocasionalmente. Caso contrário, há uma alteração no desempenho da bateria, e a diminuição da sua vida útil.


Desligue o notebook para um descanso diário
Não é bom para os laptops permanecerem ligados o tempo inteiro. O laptop precisa de um descanso ocasional para que possa alcançar o máximo desempenho.

Portanto, desligue ou coloque seu laptop em estado de suspensão ou espera (Stand By) por 10 minutos ou mais todos os dias. Isso permitirá a diminuição da rotação de todas as peças em movimento e o seu resfriamento.

Mais dicas e sugestões 
Seus arquivos podem tornar-se fragmentados devido à falta de espaço e isto pode afetar o desempenho do seu sistema.

Para melhorar a performance de sua máquina utilize a ferramenta “Desfragmentador de Discos do Windows”, isso ajudar a organizar seus arquivos no HD, melhorando o seu desempenho.

Nunca apoie o notebook sobre as pernas para utiliza-lo por muito tempo, isso pode provocar superaquecimento e danificar peças sensíveis no interior da máquina, além de ser prejudicial para você.

Apesar da mobilidade que os Laptops proporcionam, o ideal na hora de usar e apoia-lo em uma superficie plana e com boa ventilação.

Para proteger-se de uma falha no disco rígido, considere fazer copias seguras dos seus arquivos importantes, utilizando um software para fazer backup.

Deixe um comentário, expressando a sua opinião sobre o assunto.

One thought on “Ligar e desligar o notebook todos os dias pode danifica-lo?”

  1. Pingback: 10 years challenge: o que mudou na tecnologia nesses 10 anos.

Deixe uma resposta Cancelar resposta



Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


Dicas para navegar com segurança na internet

A internet, é um verdadeiro “mar” de informações, onde podemos encontrar coisas verdadeiras e úteis, mas a rede mundial de computadores está repleta de informações incoerentes e pessoas com má intenção, que utilizam da inocência e da falta de conhecimento dos internautas para aplicar golpes através do mundo virtual.

Para quem utiliza a internet, mesmo com pouca frequência, é importante tomar certos cuidados, para que a sua navegação na rede seja simples e segura.

Elaboramos sete dicas básicas, que podem ajudar a se proteger de criminosos online, e ao mesmo tempo usufruir das coisas boas que a internet tem a oferecer.


1. Proteja sua rede doméstica

Rede LAN – É uma rede local, que utilizamos na nossa casa, ou seja quando conectamos um notebook, tablet, Smartphone e impressora na mesma rede, criamos uma rede individual capaz de trocar informações entre-si.

– Identifique se o seu provedor de internet possui acesso exclusivo a sua casa.
– Procure identificar se o modem autentica apenas a sua máquina.

Wireless 
– Verifique se o seu roteador possui senha e se a senha utilizada é de difícil acesso.
– Identifique a dimensão do sinal de seu roteador.
– Procure não acessar antenas de vizinhos ou desconhecidos.
– Deixe sempre seu Firewall e antivírus ativos e funcionando.


2. Não responda e-mails não solicitados

Use o botão excluir. Até mesmo a função Cancelar Assinatura de um e-mail de Spam provavelmente não o tirará de nenhuma lista indesejada e pode, até mesmo, redirecioná-lo sem que você saiba para um Website doloso ou fazer download de um vírus.

Seu melhor ataque é uma boa defesa – se precisar assinar uma newsletter, solicitar algo pela Web, etc (mesmo que de algum site altamente confiável), use um endereço de e-mail privado para assegurar que a distribuição de seu e-mail de trabalho não ocorra.


3. Use senha fortes

Não escolha senhas fáceis de serem detectadas, como o nome de um bicho de estimação, de um amigo, nem seu mês de nascimento ou data de aniversário dos filhos.

Escolha senhas mais longas, de pelo menos 8 caracteres, combinando letras, números e pontuação. Se for absolutamente necessário usar uma palavra real, utilize uma ortografia errada.

Navegar na internet com segurança

4. Não subestime nenhuma de suas conexões on-line

Até mesmo o Sistema de Mensagens Instantâneas pode abrir a porta para ataques maliciosos.

Tenha cuidado ao aceitar novos amigos em aplicativos de mensagens ou mesmo nas redes sociais. O ideal seria aceitar apenas pessoas que você tenha algum tipo de contato no mundo real.

Tome cuidado ao seguir links ou executar um software enviado a você por outra pessoa. Eles são frequentemente usados para criar redes de computadores que são involuntariamente parte de um ataque.

Esses ataques têm o objetivo de direcionar vários acessos ao mesmo tempo a um determinado site, para que o mesmo não tendo condições de suportar o alto número, de acesso fique fora do ar. (Esse tipo de ataque, chama-se negação de serviço).


5. Não seja enganado por spoofers

Spoofers – São criminosos virtuais que tentam forjar sua identidade na internet se passando por uma pessoa ou empresa real e honesta.

Não há nenhuma razão para fornecer sua senha, CPF ou suas informações bancárias em resposta a um e-mail ou telefonema.

A maioria dos bancos e provedores de serviço da Internet legítimos nunca solicitaria o envio desse tipo de informação. Em caso de dúvidas, ligue para a empresa da qual recebeu o e-mail. Se possível poderá utilizar uma assinatura digital.


6. Cuidado com seus dados

Antes de fornecer suas informações financeiras ou bancárias em qualquer Website, procure um selo de privacidade de terceiros para assegurar que a transação seja segura.

Verifique a URL, deve usar “https“, não “http”, para criar uma transação on-line “segura”. Diferentes navegadores da Internet podem indicar conexões seguras de formas diferentes (a maioria exibe um cadeado fechado no canto inferior direito).


7. Faça backup de seus arquivos

Realize backup de seus dados regularmente, essa simples tarefa evita que você perca os seu dados caso um virus ataque o seu computador e destrua as informações encontradas na máquina.

Cinco razões que fazem do Espião do Viber para Android uma necessidade para os pais.

Parece que muitos pais estão atrasados em relação aos filhos quando se trata de tecnologia. Ainda existe uma lacuna digital entre a geração que faz selfies nas mídias sociais e a geração colecionadora de fitas cassetes do passado.

Existem muitos aplicativos por aí ajudando os pais a se inteirarem com toda a tecnologia com que seus filhos andam envolvidos, e o espião do Viber para Android é um deles. Não é apenas uma ferramenta de monitoramento conveniente… hoje em dia, é uma necessidade absoluta para os pais. Aqui está o porquê.

* Jovens Estão Mudando Para Mensagens Instantâneas.
Estamos na era da recompensa imediata. Os serviços de mensagem do mundo todo estão melhorando para que as conversas sejam feitas em tempo real. Além disso, seus filhos sabem que podem confiar nos seus pacotes de dados.

Tendo isso em mente, os jovens de hoje estão mudando para as mensagens instantâneas rapidamente. Não significa que não estão usando mais a SMS – mas as mensagens de texto levam minutos e o Viber precisa apenas estar conectado ao WiFi para funcionar.

* O Viber é Conveniente
Os jovens só precisam baixar o Viber em seus telefones completamente grátis, para enviar mensagens e fazer ligações, completamente grátis também. Isso o torna muito conveniente.

Todo jovem tem uma conexão de internet disponível o tempo todo, e é tudo o que precisam para usar o Viber. Além do mais, está disponível para todos os telefones Android que existem.

* Online é a Nova Maneira de Cuidar de Seus Filhos

Sabe qual é o melhor motivo para usar o espião de Viber para Android para monitorar seus filhos? Porque monitorar online é mais fácil. Hoje em dia, não adianta tentar trazer seu filho para o mundo físico.

É preciso ficar de olho no modo como ele se socializa e interage com outras pessoas no mundo virtual também. E isso só é possível se você estiver familiarizado com os aplicativos e plataformas certas. Um aplicativo como o XNSPY auxilia pais a levaram o cuidado com seus filhos até o nível digital.

* O Monitoramento Viber é Útil
Monitorar com quem seus filhos conversam e o que estão conversando é muito importante. O Viber é tão conveniente por ser acessível para mais pessoas, o que faz com que mais pessoas tenham acesso ao seu filho. Não dá para saber se estão conversando com amigos ou estranhos.

Por isso é tão importante ter um aplicativo espião de Viber para Android. Com ele, você poderá ver para quem seu filho anda ligando, bem como ler todas as mensagens.

* O Monitoramento Digital de Maneira Fácil
É muito simples, basta apenas instalar o aplicativo e ler tudo o que ele grava para você. Até o pai menos inteirado de tecnologia pode fazer isso. Um aplicativo como o XNSPY pode ajudar também a marcar algumas palavras que você queira ficar de olho, no caso de perdê-las de vista no meio de todas as mensagens. Por isso, você estará sempre a frente.

Nessa nova maneira de monitorar seus filhos, o espião de Viber para Android é um passo na direção certa. Quanto mais próximos os pais estiverem dos filhos, mais responsáveis eles serão digitalmente.

Se você gostou, deixe um comentário.

Como transferir arquivos de um dispositivo iOS para Android.

Aiseesoft FoneCopy, é o seu melhor aliado para transferir arquivos entre dispositivos iOS e Android, os dois sistemas mais utilizados em smartphones e tablets.

Não há dúvidas que os sistemas operacionais iOS e Android são os preferidos dos usuários de smartphones e tablets e juntos correspondem a mais de 95% do mercado, segundo dados do IDC (International Data Corporation).

Embora ambos os sistemas contem com uma ampla base de usuários fiéis, pouco dispostos a trocar seu sistema favorito pelo da concorrência, aqueles usuários que se decidem pela troca – que mesmo assim não são poucos – encontram-se com problemas de incompatibilidade entre iOS e Android na hora de copiar os arquivos do dispositivo antigo para o novo.

Visando oferecer uma solução para este problema, a Aiseesoft lança o FoneCopy, completamente em português. Além de permitir copiar arquivos de Android para iOS, ou vice-versa, de forma fácil e rápida, a ferramenta também copia de iOS para iOS ou de Android para Android.

Seja porque está cansado dos problemas de segurança e do atraso nos updates dos dispositivos Android, ou porque deseja ter mais liberdade do que a oferecida pelo fechado sistema da Apple.

Independentemente do motivo que o usuário tenha para querer trocar seu dispositivo Android por um dispositivo Apple, ou vice-versa, o Aiseesoft FoneCopy é o aliado ideal para copiar fotos, contatos e arquivos de mídia de um dispositivo para outro, evitando perdas de dados e dores de cabeça.

O programa também é útil para quem utiliza ambos os sistemas. Segundo o recente relatório publicado por ConsumerMetrix, um de cada quatro usuários destes sistemas é proprietário tanto de um dispositivo Apple como Android.

Neste caso, Aiseesoft FoneCopy ajuda a compartilhar facilmente os arquivos entre os dispositivos, por exemplo, copiando fotos de um iPad para um celular Android. Basta conectar os dois dispositivos ao PC, selecionar os arquivos que deseja copiar e o programa fará o resto.

O Aiseesoft FoneCopy é compatível com todos os dispositivos iOS, incluindo os mais recentes, com iOS 9.1, e com uma ampla variedade de dispositivos Android, de marcas como Samsung, LG, Sony, HTC e Huawei.

Para mais informação sobre o FoneCopy, visite o site oficial em português, onde uma versão de teste está disponível para download gratuito: http://www.aiseesoftware.com.br/aiseesoft-transferir-dados-android-iphone/

Uma pesquisa da IBM aponta que mais da metade dos dispositivos Android são vulneráveis.

O IBM X-Force, time de pesquisadores em segurança da IBM, divulgou um relatório que aponta que mais da metade dos dispositivos que rodam nas versões Android 4.3 a 5.1 apresentam altas vulnerabilidades de segurança.

A pesquisa, denominada “One Class to Rule Them All”, na tradução livre, “Uma classe para dominar todas”, aborda os riscos encontrados pelo time X-Force a partir de uma única classe de vulnerabilidade encontrada no Android, a OpenSSLX509 Certificate.

Esta brecha era suficiente para que hackers assumissem o controle de várias funcionalidades dos dispositivos Android e pudessem acessar dados da câmera fotográfica e arquivos importantes do usuário.

Em resumo, estes ataques avançados poderiam explorar os códigos maliciosos adicionados pelos hackers e criar um “app malicioso”, ou seja, um super app que ajudaria os cibercriminosos a dominarem de vez o dispositivo.

“Eles tiram vantagens de uma série de ‘classes’ dentro dos sistemas Android e SDKs (Android Software Development Kits), permitindo acesso, por exemplo, à câmera do smartphone, além de conseguirem repor códigos de apps, infiltrar-se em dados e autorizar comandos e acessos a informações confidenciais e pessoais do dono do smartphone”

Além da vulnerabilidade na plataforma Android, o time da IBM ainda encontrou fragilidades em Kits de Desenvolvimento de Software de terceiros (SDKs), que permitem a execução de códigos arbitrários que podem roubar informações confidenciais do aplicativo atacado.

Pinheiro explica que para encontrarem as classes de vulnerabilidades foram analisados cerca de 32 mil aplicativos Android mais populares. “Uma vulnerabilidade SDK pode afetar dezenas de aplicativos e seus desenvolvedores podem levar meses para atualizá-los, exatamente, por não saberem dessas fragilidades no sistema”, conclui.

Entenda na prática
Em um vídeo, os pesquisadores demonstraram como a falha funciona utilizando um app malicioso. Uma vez que o malware foi executado, ele substitui um aplicativo real com um falso, permitindo que o invasor infiltre dados sensíveis a partir do aplicativo e / ou criar um ataque de phishing perfeito. Veja:

Não é nenhum segredo que os invasores estão se aproveitando do grande aumento na adoção de smartphones para roubar dados e informações sensíveis dos usuários.

Há menos de uma semana, uma falha conhecida como Stagefright afetou 95% de todos os dispositivos que rodam em Android nas versões 2.2 Froyo ao 5.1 Lollipop.

Esta brecha permite que o invasor tenha controle sob um smartphone a partir do envio de qualquer mensagem via MMS. A descoberta foi reconhecida como uma das piores vulnerabilidades da história da plataforma Android.

Em sua conclusão, o estudo explica que nos casos das vulnerabilidades encontradas nos sistemas operacionais, em que há mecanismos de atualização automáticas, a situação é menos crítica do que para os SDKs que podem afetar dezenas de aplicativos cujo os desenvolvedores podem levar meses para atualizar a versão, deixando seus usuários vulneráveis por muito mais tempo.

Fonte: IBM

Se você gostou deixe um comentário!

Saiba como Identificar um Aplicativo falso – iOS e Android.

Com frequência são descobertos centenas de aplicativos comerciais falsificados na Google Play. Este também é um problema que vimos na App Store.

Enquanto alguns desses aplicativos exibirão anúncios de banner e pop-ups irritantes, outros podem ter consequências mais graves para o seu Smartphone.

Alguns aplicativos podem conter Malware que pode roubar informações pessoais. Os scammers poderiam igualmente beneficiar-se de clientes desatentos que introduzem as informações do cartão de crédito ou dados pessoais nestes aplicativos “falsos”.

Aqui estão algumas dicas para ajuda-los a identificar os verdadeiros aplicativos. 


Verifique sempre quem publicou a aplicação na loja. Tenha cuidado, porém, os falsificadores usarão nomes similares. Ex: Overstock.com (real) e Overstock Inc (falso).

Confira os comentários na App Store e na Google Play. Um aplicativo oficial provavelmente terá milhares de opiniões e avaliações, enquanto um aplicativo falso provavelmente terá um numero bem pequeno de indicações e na maioria das vezes as opiniões negativas prevalecem.

Olhe para a data de publicação. Um aplicativo falso terá uma data de publicação recente, enquanto o verdadeiro terá uma data “atualizada”. Por exemplo, esse aplicativo Overstock falso só foi publicado em 26 de outubro de 2016.

 Verifique se há erros ortográficos no título ou na descrição. Muitos desses aplicativos são desenvolvidos de forma “caseira” e os seus criadores não dão muita atenção para os erros de ortografia.

Tenha muito cuidado se parecer que o inglês não é a primeira linguagem dos desenvolvedores, (isso vale para aplicativos usados mundialmente, como: WhatsApp, Skype, Facebook entre outros).

Muita atenção com os aplicativos que oferecem descontos exagerados em compras ou que prometem ganhar dinheiro grátis e fácil, a maioria desses aplicativos não são bem intencionados.

Em caso de dúvida, visite o website da empresa que você pretende obter o aplicativo e encontre os ícones “iOS ou Android”. Isso o levará à App Store ou à Google Play onde você pode baixar o aplicativo correto.

O Android permite que você instale aplicativos baixados da internet sem usar a Google Play. Essa é uma pratica que não é recomendada, uma vez que o app instalado pode conter vírus, com isso você não terá a garantia da loja oficial, e o seu Smartphone pode sofrer sérios danos.

Alguns Aplicativos ao serem instalados pedem permissão ao usuário para acessar algumas funções do aparelho. Sempre desconfie de apps que pedem permissão para acessar funções que não tem relação com o seu funcionamento.

Por exemplo, se você usa um aplicativo de mapas ou videos, não tem porque o app solicitar acesso a sua agenda de contatos.

É importante ressaltar que existem aplicativos falsos, ou seja aqueles que tentam se passar pelo app oficial de uma loja, empresa, ou site, mas nem sempre tem a intenção de espalhar vírus ou roubar informações pessoais, na maioria das vezes o objetivo nesse caso é vender publicidade.

E tem os aplicativos mal intencionados que 100% das vezes são falsos e que tem a real intenção de coletar dados pessoais e financeiros que são usados em benefícios dos criadores.

Os antivírus instalados nos Smarphones também podem ajudar. Esses programas conseguem identificar quando um aplicativo não é confiável, o que deve redobrar a atenção do usuário.